Mercado retrai, mas tecnologia e segurança da informação são prioridade

Por Redação | 23 de Junho de 2016 às 16h51

Apesar da retração no mercado, o investimento em segurança da informação cresce no Brasil. Com o aumento do número de ataques, a proteção de informação é tão importante quanto educar os usuários. Em entrevista durante a CIAB 2016, o presidente da Symantec Brasil, Eduardo Souza, divulgou dados sobre os investimentos em segurança da informação no país diante do cenário econômico atual.

"A Segurança da Informação não é uma questão ferramental. Há muitas no mercado. Mas há ações que precisam ser feitas, como a educação do usuário. Segurança da Informação vai desde a senha fraca ao crachá repassado para terceiros ou de um clique num site malicioso ao cibercriminoso", afirma Souza ao Convergência Digital.

Uma das características da segurança em TI é ter um atacante, ou seja, um agente que quer se posicionar por meio de fraudes ou ações que lhe dê alguma vantagem. Para Souza, é importante proteger para que a informação não saia da empresa e impedir que ela seja utilizada de modo inadequado.

A falta de legislação que fortaleça a cibersegurança no Brasil é um obstáculo a ser superado. "Existem atacantes rondando as empresas; eles são inteligentes e exigem ações inteligentes de combate. Precisamos que o Marco Civil da Internet se fortaleça e possa vir a ser usado", explica Souza.

O presidente da Symantec destaca ainda que as instituições financeiras estão à frente de outras entidades devido ao direcionamento que os bancos estão fazendo no sentido de se tornarem 100% digitais. "As estratégias de cibersegurança em relação aos bancos muda, é necessário se antecipar e relacionar os dados", observa Souza.

Confira a entrevista completa de Souza para o CDTV:

Fonte Convergência Digital

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.