CES 2016: Menos smartphones, mais tecnologias inteligentes

Por Pedro Cipoli | 07 de Janeiro de 2016 às 15h46

Não é à toa que a CES (Consumer Eletronics Show) acontece logo no começo do ano, já para mostrar as tendências de mercado que serão seguidas ao longo dos próximos meses. Acompanhamos a feira há alguns anos, e é interessante observar a mudança de foco aqui. Até pouco tempo, o mundo voltava a sua atenção para a CES esperando principalmente novos smartphones, já que a explosão de consumo desses produtos não mostrava sinais de exaustão. Mas o interesse do consumidor sofreu uma mudança considerável nos últimos anos.

A verdade é que o mercado de smartphones está cada vez menos aquecido, algo que a própria CES demonstra. Antes, a feira antecipava alguns modelos de smartphones, caso da linha G Flex da LG, já que a grande feira para isso é a MWC, que acontece entre fevereiro e março de cada ano. Agora, categorias de produtos que sempre marcaram presença na feira foram os maiores destaques desse ano. Teve até geladeira inteligente!

Novas smart TVs (4K é para os fracos)

Ainda que muitos questionem a necessidade da resolução 4K, a LG não se abalou e anunciou a 98UH9800, uma smart TV curva de 98 polegadas e resolução 8K. Isso mesmo: 7680 × 4320, também conhecido como “mais de 33 milhões de pixels”, ou 16 vezes mais pixels do que o Full HD (que tem módicos 2 milhões de pixels). A indústria, de uma forma geral, adora números grandes, que não chegam a ser necessariamente benéficos para os usuários, mas reforça a marca. Por exemplo, o Xperia Z5 Premium foi o primeiro smartphone 4K do mundo, e ainda que isso não signifique absolutamente nada para o usuário final, fará com que a Sony seja sempre lembrada por isso.

CES 2016

De qualquer forma, esse não é o ponto mais interessante, ainda que seja o mais chamativo, e sim outras duas coisas. A primeira delas é o HDR, que certamente melhorará a qualidade das imagens independentemente da resolução, de forma semelhante ao que vemos em fotografia. Ou seja, a corrida espacial de oferecer imagens de televisão mais reais do que a própria realidade parece estar longe de acabar, que passa a incorporar recursos cada vez mais avançados.

CES 2016

Outro ponto é que, apesar da tela não ser OLED, conhecida pelos seus níveis de preto profundos e altíssima saturação de cores, a 98UH9800 consegue chegar em 90% do padrão DCI (Digital Cinema Initiative), contra 88% da geração atual de painéis OLED. Essa é uma característica de todas as smart TVs presentes na CES, com modelos 4K anunciados a granel, mostrando que elas ainda têm um longo caminho a percorrer. E, claro, independentemente de resoluções maiores fazerem diferença na prática ou não, elas vieram para ficar.

CES 2016

Saindo do hardware e entrando no software, é interessante observar que as smart TVs estão unificando a experiência de usuário da mesma forma como aconteceu com os smartphones. Novos sistemas operacionais, como as versões mais recentes do WebOS e Firefox OS fazem com que elas não precisem mais de tantos periféricos. A versão 2016 mostrou que, cada vez mais, a TV será o único dispositivo na sala de estar, trazendo armazenamento próprio, serviços de streaming como Netflix, Hulu e Amazon Prime, Wi-Fi, sistemas de áudio que dispensam home theaters mais simples e até armazenamento próprio e navegadores.

Carros inteligentes

Algo completamente fora da realidade brasileira devido aos altos custos de veículos por aqui, montadoras mundiais começaram a ter dificuldades em convencer o consumidor a trocar de veículos pelas estratégias convencionais. Tentar vender um motor mais potente, algum truque aqui ou ali (como bancos aquecidos), visuais mais futurísticos... isso deixou de ser tão efetivo quanto antes, de forma que os fabricantes começaram a se mexer para continuar conquistando os usuários, tornando-os cada vez mais inteligentes.

CES 2016

Os destaques da feira ficam para a Audi e a BMW, que passam incorporar sistemas de auxílio para o motorista que vão desde sistemas de GPS cada vez mais precisos a sistemas de segurança, de uma forma geral. É bacana ver que até mesmo os carros estão se tornando cada vez mais computadorizados, o que de um lado torna as ruas e rodovias cada vez mais seguras, mas por outro levanta uma discussão interessante sobre privacidade (afinal, GPS e conexão de internet garantem que você seja localizado a qualquer momento) e segurança contra invasões.

CES 2016

Fabricantes de chips de smartphone focam cada vez mais em automóveis, um movimento natural de um mercado que está se tornando cada vez mais saturado para outro que não para de crescer. A Qualcomm, por exemplo, anunciou uma versão de seu novo chip top de linha Snapdragon 820 para carros (o Snapdragon 820A) otimizada para as tecnologias automotivas, com um foco maior em desempenho, já que carros não exigem tanta economia de energia quanto acontece com smartphones.

IoT e casa conectadas

Um dos maiores destaques da feira, os produtos de internet das coisas (Internet of Things – IoT) receberam a atenção de várias empresas. Tanto do lado da infraestrutura, com a Ericsson anunciando suas soluções para processar antos dados ao mesmo tempo (caso do Data Consolidation), quanto produtos criados especificamente para gerenciar os produtos conectados à rede em casa. Dos maiores lançamentos, por exemplo, temos o SR20 da TP-Link, um roteador inteligente otimizado para esse tipo de aplicação.

CES 2016

Nem as geladeiras vão escapar de se conectar à internet, caso do modelo Smart Hub da Samsung. Ela vem com uma tela de 21,5 polegadas para controlar todas as funções disponíveis, além de navegar na internet e tocar músicas. Sim! Tocar músicas, já que ela vem com caixas de som embutidas. Produtos conectados pipocaram aos montes pela feira, indo desde controles de cortina até iluminação. Ou seja, brincar de Tony Stark está ficando cada vez mais perto de ser tornar realidade.

Smartphones, tablets, drones e outros

É difícil imaginar que empresas não lancem smartphones nas quatro grandes feiras de tecnologia do ano (CES, MWC, Computex e IFA), mas tivemos alguns lançamentos menores aqui e ali, como o Honor 5X da Huawei. Porém, é interessante observar que este ano não tivemos um G Flex 3, linha que é geralmente lançada na CES, e uma ausência de lançamentos por parte da ASUS, que também aproveitava a feira para anunciar novos modelos. Tivemos sim o Zenfone Zoom, mas ele já foi “lançado” meia dúzia de vezes em 2015, de forma que a novidade é que ele finalmente chegará às lojas.

CES 2016

O foco ficou para tablets e wearables, com empresas como a Samsung focando em uma nova edição do Gear S2, seu tablet Galaxy TabPro S rodando Windows e uma nova versão do Chromebook, que deixou de ter um visual mais simples em favor de uma construção metalizada mais premium. E, claro, drones em todos os lugares, como o Yuneec Typhoon H da Intel, que faz uso da tecnologia RealSense da empresa para “entender” o que a câmera está gravando.

Parrot Disco

Outro drone que realmente chamou a atenção foi o Parrot Disco, que abandona aquele visual desengonçado que geralmente associamos aos drones em geral e parece mais um caça em miniatura. Além do visual, ele é um bom representante de como esse segmento de produtos está evoluindo, já que conta inclusive com um modo de piloto automático e pode voltar para o usuário com um simples comando “voltar para casa” disponível no seu software.