O que realmente vingou desde a edição 2013 da CES?

Por Redação | 06.01.2014 às 16:31

A CES 2014 começa oficialmente nesta terça-feira (7) e promete uma nova enxurrada de smartphones, tablets, híbridos, TVs, carros inteligentes, wearables e outras centenas de novos produtos para o mercado. Mas com mais de 3,2 mil expositores aguardados, grande parte deles com seus próprios gadgets para o evento, como é que ficam as inovações assim que acabam os quatro dias do evento? A verdade é que muitas delas sequer chegam até as prateleiras.

A CES é conhecida por ser um polo de apresentação de inovações tecnológicas, e é conhecida por ter lançado tecnologias para o consumidor final que marcaram época, como o CD, o VHS, e o DVD. Agora, um ano depois da CES 2013, resolvemos fazer um retrospectiva das principais novidades que foram apresentadas no evento do ano passado e qual o lugar que elas conquistaram (ou não) no mercado.

Os televisores 4K

Os displays 4K, de resolução quatro vezes maior do que os Full HD (1080p) atuais, não são exatamente uma novidade, mas foram os protagonistas da CES 2013. Para quem não se lembra, o evento do passado foi marcado pela apresentação de televisores 4K e conceitos por parte de quase todas grandes empresas do setor.

LG, Samsung, Phillips e Sony disputaram polegada por polegada com aparelhos que chamavam a atenção não só pelo tamanho e resolução superior, mas pela absoluta impossibilidade de acabar na casa do consumidor final. Os motivos? O preço e a falta de conteúdo.

Um ano depois, essa realidade começa a mudar e os televisores 4K devem repetir o protagonismo na CES 2014, mas agora em um contexto um pouco mais favorável para o consumidor final. Neste meio tempo, foi necessário um corte de preços dos aparelhos pelos principais produtores, mirando não apenas em estimular a compra das TVs, mas também em incentivar a produção de conteúdo 4K.

A equação aqui é simples: sem TVs 4K na casa dos consumidores, os produtores não têm por que criar conteúdo em 4K, e sem conteúdo 4K disponível, consumidores também não vão adiquirir a tecnologia.

E esse segundo ponto ainda é problemático, se ainda não vimos um boom de televisores 4K ao redor do mundo desde a CES 2013, é porque a oferta de conteúdo ainda é pequena. E 2014 promete ser a virada deste problema. Já vimos anúncios de serviços como YouTube, que passou a suportar o upload de vídeos em formato 4K e 8K no site. Também já vimos a chegada de plataformas como o PS4 e Xbox One, que também suportam a tecnologia. Vale lembrar também que na IFA 2013, outro grande evento do setor de tech para o consumidor, o foco foi na apresentação de ferramentas que podem criar conteúdo 4K, não apenas nos televisores.

Wearable tech (agora vai?)

A indústria falou o ano inteiro sobre tecnologias vestíveis, você leu o ano inteiro sobre tecnologias vestíveis e nós escrevemos o ano inteiro sobre tecnologias vestíveis. Mas a pergunta que fica é: você está usando alguma tecnolgia vestível neste momento?

A tendência foi uma das principais a marcar a indústria no ano passado, introduzida na CES 2013, com a apresentação de alguns produtos como o smartwatch criado através de crowdfunding Pebble, mas expandida principalmente com o lançamento do Google Glass e durante a IFA 2013, quando foram revelados o Galaxy Gear, da Samsung, e o SmartWatch 2, da Sony.

E agora, na CES 2014, retorna com força para tentar, mais uma vez, provar para o consumidor que um par de óculos, relógio ou pulseira inteligente é algo que ele definitivamente quer em seu guarda-roupas. Mas até o momento, as tecnolgoias usáveis que mais têm dado certo junto ao consumidor não tiveram origem na CES ou são aquelas voltadas para a prática de esportes. Ainda assim, as vendas não refletem nenhum sucesso absoluto.

Diferente da CES 2013, o evento deste ano terá um área dedicada somente a esses gadgets, em um esforço que mostra o quanto a indústria está interessada em fazer os usáveis acontecerem. O que falta agora é provar para os usuários que esses gadgets realmente podem facilitar seu dia-a-dia com suas funções de maneira simples, instintiva e sem frustrações para o consumidor. Não é uma tarefa simples adicionar mais um gadget nas nossas vidas, que em certa medida já estão sobrecarregadas com os tantos produtos de tecnologia com que já estamos acostumados.

Automóveis Conectados

Tradicionalmente, o setor automovito da CES não recebe o mesmo destaque de gadgets e produtos como tablets, e smartphones durante o evento, mas isso não significa que o setor não empolgue nem traga novidades a cada ano.

Em 2013, os expositores de automóveis trouxeram o que nós podemos esperar para os próximos anos dentro de nossos carros: veículos cada vez mais conectados com apps, dispositivos móveis e gadgets e com cada vez mais autonomia. Para quem não se lembra, a Audi trouxe um automóvel capaz de estacionar sozinho.

Um ano depois, aqui vemos um tendência que aos poucos, mas regularmente, vem ganhando espaço não só porque a indústria vem adotando novas tecnologias, mas porque grande parte delas realmente facilitam a vida do motorista na direção. E essas inovações não estão demorando muito para chegar nas mãos do consumidor. Aqui no Brasil, vários modelos de diferentes marcas já passam a integrar assistentes de bordo com comandos de voz e conectividade bluetooth com aparelhos móveis.

E essa tendência se reflete na expansão do setor de automóveis na CES 2014, que está 25% maior do que no ano passado, com mais de 125 expositores. Essa realidade ainda pode estar a alguns anos de distância, mas em breve poderemos contar com carro de direção autônoma em nossas estradas.

Games

A CES não é exatamente palco das maiores inovações da área de games durante o ano, que geralmente ficam reclusas a eventos próprios de grandes publishers e fabricantes e, claro, a E3. Mas a CES 2013 foi um ano que fugiu um pouco desta regra, com pelo menos dois grandes anúncios para gamers: o console portártil Shield, da Nvidia, e o tablet para games Edge Pro, da Razer.

Um ano depois, no entanto, nenhum dos dois lançamentos alcançou um grande destaque entre consumidores. Nos dois casos, o preço elevado dos dispositivos os relegou a uma categoria mais de item de luxo do que de console para o dia-a-dia.

Mas a CES 2014 promete um novo burburinho para gamers com o tão aguardado anúncio das 12 aguardadas Steam Machines, a nova plataforma de games da Valve baseada em seu sistema operacional customizado, o Steam OS. Conhecida pela plataforma Steam, que virou sinônimo de jogos de PC para muitos gamers, a Valve pode praticamente injetar mais vida neste setor para a CES, tamanho o hype sobre seus consoles.

Também podemos esperar alguns anúncios da Sony e seu PS4, além novidades não muito relevantes da Microsoft e seu Xbox One, já que a empresa retirou sua presença maciça da CES em 2013. Além disso, é esperado que a nova versão do visor de realidade virtual Oculus Rift seja apresentada durante a feira.

Smartphones e Tablets

Há algum tempo o lançamento de smartphones e tablets na CES deixou de ser algo aguardado por consumidores para se tornar uma obrigação de grandes empresas.

Na CES 2013, a principal novidade que entusiasmou foi a apresentação do tablet Surface, da Microsoft, que apostou no dispositivo para empolgar os consumidores com seu Windows 8 Pro. Um ano depois, as vendas do dispositvo não impressionam e a empresa ainda briga para colocar o Windows 8 no coração dos consumidores. Até o momento, nem a segunda geração dos tablets, o Surface 2 e o Surface Pro 2, apresentada em setembro, parece agradar.

Do outro lado, saíram felizes da CES 2013 e devem reaparecer com destaque neste ano empresas chinesas como a Hisense, Huawei, Haier, Lenovo e ZTE. No ano passado, as marcas aproveitam o destaque na CES para jogar seus melhores produtos e inovações na frente das câmeras, e apresentar seus produtos para o mercado americano. O resultado disso foi um 2013 positivo para grande parte dessas empresas, que deixam para trás a imagem de produtos de baixa qualidade e avançam em mercados tradicionais e novos – como o próprio Brasil.

Assim como aconteceu em 2013, tablets e smartphones devem manter algum protagonismo neste ano – informações sobre vários modelos a serem apresentados já estão vazando, e os primeiros anúncios já acontecem a partir de hoje, com as coletivas de imprensa das principais empresas. Mas ainda assim, neste setor, a CES deve ficar em segundo plano, com a maior parte do anúncios de peso ficando em segredo ao menos até a MWC (Mobile World Congress), que acontece em fevereiro, em Barcelona.