CES 2015: NVIDIA anuncia o Tegra X1, um novo superchip para celulares

Por Redação | 05.01.2015 às 11:48

A CES 2015 começou nesta segunda-feira (5) em Las Vegas, nos Estados Unidos, e já foi iniciada com um grande anúncio. No palco de sua conferência de abertura do evento, o CEO da NVIDIA, Jen-Hsun Huang, revelou o Tegra X1, novo processador mobile da marca que vem para levar adiante as ideias de alto poder computacional e integração de arquiteturas que já existiam no modelo anterior da companhia.

Com arquitetura Haswell, o Tegra X1 une os sistemas encontrados nos PCs e nos dispositivos móveis. Com uma GPU de 256 núcleos – a mesma encontrada na placa de vídeo GeForce 830M –, o produto vem com a intenção de facilitar o trabalho de desenvolvimento e port de aplicativos e jogos. Assim, ficará mais fácil para que desenvolvedores levem títulos dos PCs para os celulares ou tablets, ou criem softwares que rodem ao mesmo tempo em ambas as plataformas.

Utilizando uma combinação de núcleos, o X1 pode ser capaz de realizar diversas tarefas simultaneamente. Quatro cores ARM Cortex A57, por exemplo, lidam com as tarefas mais pesadas e que exigem maior poder de processamento, enquanto os A53, também da fabricante, cuidam das exigências de baixa prioridade, economizando bateria e proporcionando um funcionamento inteligente, com o componente sempre sabendo em quais aplicativos precisa concentrar suas forças.

Apesar da mudança no processo – de uma arquitetura proprietária para outra, neste caso aberta –, o X1 não altera o andamento geral do roadmap da NVIDIA. Em declarações oficiais publicadas pelos Ars Technica, um porta-voz afirmou que o sistema Denver de 28nm continua sendo utilizado pela empresa e dará as caras em outras soluções no futuro. O novo processador chega com uma fabricação em 20nm, o que tornou o uso de tecnologias já existentes uma alternativa melhor.

Jen-Hsun Huang

No palco, Huang exibiu o poder do X1 na forma de aplicações com performance de até 1 teraflop. Além disso, afirmou que o chip é capaz de lidar com vídeos em resolução 4K, mostrando que o componente está muito bem preparado para a nova onda de smartphones, que já devem começar a adotar esse aspecto de tela em um futuro bem próximo.

Pegando a estrada

Além dos celulares, a NVIDIA tem ambições maiores com o Tegra X1. A empresa pretende fomentar o uso de sua tecnologia também em sistemas para carros. Para isso, a empresa apresentou o Drive CX, um “computador veicular” com suporte aos sistemas operacionais Android, Linux e QNX capaz de rodar múltiplas interfaces e lidar com toda a parte eletrônica e de mídia das máquinas.

E é aqui que está uma das grandes indicações do futuro da NVIDIA: o mundo da inteligência artificial. A novidade é o PX, um computador de "pilotagem automática" que utiliza sensores e câmeras para detectar os arredores. Além disso, o sistema pode aprender com as informações obtidas e identificar objetos na pista, como prever pedestres que não estão à vista, conhecer o comportamento deles ou distinguir veículos normais de ambulâncias ou ônibus escolares.

A ideia não é fazer com que o veículo ande sozinho, pelo menos não em um primeiro momento. O conceito é auxiliar o motorista na detecção de ameaças e na tomada de decisões no trânsito. Mesmo assim, o futuro de carros dirigidos automaticamente parece estar mais próximo, caso a nova empreitada da NVIDIA tenha sucesso.