Volvo promete carro totalmente elétrico e "a prova de mortes" para 2019

Por Redação | 25 de Abril de 2016 às 06h40

O Model S foi um automóvel sem precedentes - e isso não vale só para os consumidores do carro ou para os que pretendem e podem comprar um, mas também para as montadoras concorrentes. A Volvo não gostou nada de perder o posto de carro mais seguro do mundo para o sedã de Elon Musk e pretende responder à altura. A tradicional fabricante sueca prometeu desenvolver o mais revolucionário veículo totalmente elétrico até 2019, e mais: quer vender um milhão de modelos híbridos até 2025.

Após ser vendido pela Ford para um grupo de fabricantes chineses, a montadora europeia agora trabalha no lançamento de dois híbridos, na renovação das séries 40 (como os modelos V40 e S40) e séries 60 (S60 e V60), além de continuar as versões híbridas dos atuais XC90 e S90.

Volvo

Håkan Samuelsson, CEO da montadora, disse que há muitos desafios na eletrificação dos carros, mas que a empresa está preparada para isso. Até 2020 a Volvo tem três grandes objetivos para cumprir: ter 35% de seus cargos de liderança ocupados por mulheres, apresentar um modelo totalmente elétrico e com o maior nível de segurança já visto, lançando a chamada política de "carros a prova de mortes", e renovar suas principais plataformas para modelos futuros.

A SPA (Scalable Product Architecture) e a CMA (Compact Modular Architecture) são plataformas de chassi planejadas para serem as mais seguras do mundo, envolvendo materiais que suportam melhor os impactos e que garantem mais espaço interno no carro, algo que o Model S já provou ser um ganho em segurança em casos de acidente.

No Brasil, a Volvo já vende o XC90 (que você pode ver no vídeo acima), o SUV de luxo lançado em 2015, mas que infelizmente não chegou em conjunto da sua versão híbrida por aqui. O preço do modelo varia entre R$ 334 mil, na versão Momentum, e R$ 383 mil na versão Inscription. Ele foi apresentado ao mundo em Paris e impressiona pela quantidade de sistemas voltados para a segurança, como um regulador no cinto de segurança para cancelar o efeito chicote em um impacto e até mesmo frenagem automática acionada por proximidade em velocidades abaixo dos 30 km/h.

Via: TechTimes

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.