Volkswagen lança Moia, nova companhia focada em veículos autônomos e de passeio

Por Luciana Zaramela | 05 de Dezembro de 2016 às 20h09
photo_camera Divulgação

A Volkswagen acaba de entrar no ramo dos carros autônomos. A montadora alemã lançou hoje no mercado uma companhia com foco em "novas soluções em mobilidade", como veículos de passeio e de auto-condução, e está confiante de que vai abocanhar uma fatia significante do mercado até 2025.

A empresa se chama Moia e terá sua sede em Berlim, onde certamente vai testar seus novos produtos e serviços, antes de iniciar a expansão para outros locais. Concorrentes como Ford e GM também começaram a lançar serviços semelhantes lá fora, fazendo parcerias com plataformas como o Uber e o Lyft a fim de incrementar os negócios.

Dentre os projetos da Moia estão carros elétricos que podem ser chamados via app, o que seria combinado a um serviço de transporte público com os mesmos aspectos do UberPool. Aliás, usar o smartphone para chamar um carro consiste no principal foco da Volkswagen neste momento com a Moia, já que investiu US$ 300 milhões no Gett, um serviço à la Uber sediado em Londres.

Com parte de seu compromisso renovado com a mobilidade, a empresa diz que agora vai "explorar" a tecnologia de carros autônomos, mas não deu muitos detalhes sobre seus planos. Não se sabe ainda quais veículos serão testados, nem quais mercados serão abrangidos.

Ole Harms, que foi diretor executivo e gerente de novos negócios e mobilidade na Volkswagen, vai assumir a chefia da Moia a partir de primeiro de janeiro de 2017. O primeiro projeto piloto vai começar mais tarde, no mesmo ano.

Tacada pós escândalo

A decisão da Volks vem em um momento de "tudo ou nada" para a empresa, principalmente após o escândalo envolvendo adulteração em resultados de testes de emissão de óxido de nitrogênio, um dos principais poluentes resultantes do óleo diesel.

Em 2015, a empresa foi acusada e processada pelo governo dos Estados Unidos de burlar os dados de emissões de gases poluentes apenas para se enquadrar nas regulamentações do país. Dentre os veículos apontados estavam o Jetta, o New Beetle, o Golf, o Passat e o Audi A3 (pertencente à marca). Dadas as inúmeras provas contra a adulteração, a companhia não teve outra saída senão pedir desculpas a todos os seus clientes.

Via The Verge

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.