Tesla vai restringir uso de piloto automático para impedir abuso dos motoristas

Por Redação | 04.11.2015 às 15:40

Há pouco menos de um mês, a Tesla lançou uma atualização de software para seus veículos elétricos que inclui um sistema de "piloto automático". Agora, o CEO da montadora, Elon Musk, disse que vai acrescentar "restrições adicionais" à ativação do modo que permite ao automóvel desempenhar algumas funções sem ajuda do motorista.

De acordo com Musk, a ideia é "minimizar a possibilidade das pessoas fazerem coisas loucas". Durante o anúncio dos resultados trimestrais da Tesla, o executivo também afirmou que cerca de 40.000 Model S já estão rodando o novo recurso de piloto automático e registrando o equivalente a 1,6 milhão de quilômetros percorridos por dia – mas ele não deixou claro se esse número é exclusivo para os quilômetros percorridos com o piloto automático acionado.

Apesar dos resultados positivos em relação à adoção do novo recurso, Musk disse não estar satisfeito com "alguns vídeos muito loucos" postados no YouTube. "Isto não é bom. Vamos colocar algumas restrições adicionais sobre quando o piloto automático pode ser ativado", explicou o CEO. Musk não revelou quando as novas configurações seriam impostas, mas em breve os usuários da versão beta do piloto automático devem receber uma atualização OTA em seus veículos.

Pouco depois do lançamento do novo recurso, alguns clientes da Tesla reclamaram de erros no piloto automático em fóruns especializados e, apesar de dizer que estava ciente do assunto, Musk minimizou a importância dos problemas. "Ele foi descrito como uma versão beta. O sistema vai aprender e ficar melhor com o tempo. Ele começará a ficar mais refinados nos próximos meses", explicou.

Fonte: Arstechnica