Dados do piloto automático da Tesla estão ajudando na criação de carro autônomo

Por Redação | 29.05.2016 às 18:55

Quando o assunto é carro autônomo, a Tesla está investindo pesado. Para garantir que o recurso funcione perfeitamente, o diretor do programa de de piloto automático da Tesla, Sterling Anderson, revelou ao Instituto de Tecnologia Massachussets (MIT) que a fabricante tem dados armazenados de 780 milhões de milhas gravados nos últimos 18 meses por seus carros.

O programa de piloto automático da companhia foi lançado em 2014, mas ainda não é completamente autônomo. Ele utiliza sensores ultrassônicos, radares e câmeras que "leem" o solo e orientam o veículo na estrada. Segundo as estimativas da empresa, uma versão melhorada do sistema será lançada em 2018.

O que mais impressiona nessa história toda é a velocidade com que a Tesla está coletando dados. A cada 10 horas, a empresa está reunindo dados correspondentes a um milhão de milhas, de acordo com Anderson. O número representa quase o dobro do que o CEO Elon Musk havia divulgado no último mês de outubro.

Atualmente, a prioridade da Tesla é colocar o máximo de carros na rua para ter a maior quantidade possível de dados armazenados. "Quando um carro aprende alguma coisa, a frota toda aprende. A frota aprender coisas novas é um recurso poderoso de rede", disse Musk no ano passado.

A companhia Volvo também planeja lançar seu primeiro carro teste de autocondução em 2017. Outras empresas como BMW, Mercedes e GM estão preparando também iniciativas similares. Mesmo o Google, que começou seu programa em 2009, só foi capaz de capturar dados de 1.5 milhão de milhas percorridas.

No momento, a habilidade de colher dados de alta resolução e atualizar os carros por meio da nuvem é o que separa a Tesla das outras companhia automotivas. Com mais 18 meses pela frente, é provável que a fabricante melhore ainda mais seu programa de piloto automático.

Via: Quartz