Tesla atinge marca de cinco mil carros por semana e Elon Musk comemora

Por Felipe Demartini | 02 de Julho de 2018 às 14h05
TUDO SOBRE

Tesla

A Tesla atingiu, finalmente, a marca de cinco mil unidades do Model 3 fabricadas por semana e, agora, é “uma montadora de verdade”. As palavras foram ditas pelo fundador Elon Musk em um e-mail enviado aos funcionários da empresa neste final de semana, no que pode marcar, também, o início de uma retomada daquilo que o próprio CEO taxou como “um inferno” há apenas alguns meses.

A marca sonhada foi atingida com atraso de algumas horas, mas ainda assim, foi digna de comemoração. A intenção da Tesla era fechar o mês de junho com um ritmo de cinco mil veículos semanais, mas o carro que faltava para fechar esse recorde saiu com sucesso das últimas checagens de qualidade às 5h deste domingo (1), no horário local da Califórnia, nos EUA. Foi final de semana, então, para a montadora, foi momento de festejar e, principalmente, olhar para um futuro que parece mais positivo.

Agora, a meta é ainda mais ambiciosa, já que antes mesmo de atingir o total atual, Musk já havia afirmado sua ambição de atingir uma marca de seis mil carros por semana até o final do mês de agosto. O e-mail, então, veio como mais do que uma comemoração, mas também uma mensagem de incentivo para os colaboradores, a de que os objetivos firmados pela gerência são possíveis, mesmo que sejam trabalhosos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Tanto que, junto com cinco mil Model 3 semanais, Musk incluiu em seu e-mail a lembrança de que outros modelos de carros estão dentro das expectativas, como o Model S e o Model X, com sete mil unidades de ambos, na somatória, deixando as unidades da Tesla. Mais e mais, a ideia da empresa é atingir um patamar de produção em massa e grande escala, de forma a aguentar a altíssima demanda dos consumidores pelos veículos elétricos.

Mais do que tudo isso, a mensagem de Musk traz alívio, já que parece que a companhia, finalmente, está saindo do que o próprio fundador chamou de “inferno de produção”. Foram essas as palavras estranhamente ditas por ele no lançamento interno do Model 3, já avisando aos colaboradores que eles deveriam se preparar para momentos complicados que durariam cerca de seis meses. Mais de um ano depois, porém, esse tormento, aparentemente, acabou.

Agora, a expectativa é de que a boa notícia ajude, também, a recuperar a confiança dos investidores. As ações da Tesla apresentam uma alta de 40% desde abril, uma recuperação do valor mais baixo de sua história e fruto da confiança de que a montadora seria capaz de recuperar o ritmo. A carta de Musk deve servir como uma comprovação de que esse potencial é não apenas atingível, mas real.

Informações de fontes ligadas ao chão de fábrica citaram grande comemoração quando o veículo de número cinco mil deixou a linha de produção, mas também, grande tensão até que isso acontecesse. Colaboradores de outras unidades e setores estariam sendo remanejados para as equipes responsáveis pelo Model 3, enquanto o potencial de automação desejado por Musk estaria abaixo do desejado pelos executivos da companhia. A grande confiança ainda está na mão-de-obra humana e seria ela a responsável por levar a companhia para a frente.

Anunciado em março de 2016, o Tesla Model 3 é considerado como o modelo de entrada da companhia e, também, responsável pelo maior número de pré-vendas de sua história. De acordo com os dados da montadora, mais de 450 mil unidades foram adquiridas antecipadamente pelos entusiastas, com a empresa, agora, lutando para atender a todas elas enquanto tenta colocar o carro no mercado e seguir adiante nas vendas.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.