Governador de Arizona permitiu que Uber testasse carros autônomos "em segredo"

Por Ramon de Souza | 29 de Março de 2018 às 08h39
Tudo sobre

Uber

Após um de seus carros causar a morte de uma pedestre no Arizona, EUA, a Uber foi obrigada a suspender seus testes com veículos autônomos pelo próprio governador do estado, Doug Ducey. Porém, e-mails obtidos pelo jornal The Guardian revelam que, até então, a empresa de transportes e o político republicano tinham uma relação bastante amistosa — e é justamente esse relacionamento amigável que pode ter causado a tragédia.

De acordo com o veículo, que teve acesso às mensagens trocadas entre Ducey, seus assessores e executivos da Uber desde 2016, o governador do Arizona sempre tentou impulsionar as atividades da companhia — e sempre recebeu benefícios em troca. Em determinados momentos, Ducey chegou a publicar tweets favoráveis aos serviços da marca e até mesmo a literalmente vestir uma camiseta com seu logotipo durante eventos.

A Uber, por sua vez, ofereceu um espaço para os assessores de Ducey trabalharem em seu escritório em São Francisco e prometeu trazer dinheiro e empregos ao estado com suas inovações tecnológicas. Tanta amistosidade acabou culminando na emissão de uma licença “secreta” para que a empresa iniciasse testes com carros autônomos em 2016, sem a correta supervisão de especialistas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Governador emitiu licença para testes prematuramente (Imagem: The Guardian)

O mais impressionante é que, naquela época, a Uber foi proibida pelas autoridades da Califórnia de realizar testes do tipo depois que 16 veículos autônomos foram flagrados ultrapassando sinais vermelhos em semáforos. Os automóveis então foram transportados para o Arizona, sendo recebidos de braços abertos por Ducey — que chegou a publicar uma mensagem de boas-vindas para os carros no Twitter.

Procurado pelo The Guardian, o governador não quis comentar a respeito do assunto. É sensato supor que, caso o estado do Arizona tivesse mantido regras mais rígidas para os testes da Uber (tal como fazem outros estados norte-americanos), o acidente fatal registrado neste mês poderia ser evitado.

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.