Ford Focus elétrico agora conta com 185 km de autonomia

Por Redação | 24 de Novembro de 2016 às 20h25

A Ford resolveu atualizar um de seus mais famosos carros, o Focus, para bater de frente com gigantes como BMW e Nissan no mercado de veículos elétricos. O automóvel, que lá fora já tinha sua versão elétrica e não foi muito propagandeado pela montadora — afinal, ele não era lá grandes coisas — agora deixou o algoz de "carro adptado" para entrar de cabeça neste rol.

Graças a uma nova bateria fabricada pela LG que garante 63 km a mais de autonomia ao modelo, o novo Focus elétrico adentra a homologação norteamericana e consegue bater a marca de 185 km com apenas uma carga. Sendo assim, ele está em pé de igualdade com o BMW i3 e o Nissan Leaf e promete fazer pressão contra a concorrência.

Neste sentido, a Ford agora terá que diferenciar o novo modelo do anterior, e para isso, tem que confiar na sorte. O carro, por fora, não tem nenhuma diferença do seu antecessor, mas por dentro traz uma novidade bem importante: sua bateria com carga rápida é um item de série, e usa um conector de carga combinada universal.

Em virtude das adaptações do carro convencional para um que usa energia elétrica como combustível, o porta-malas do novo Focus ficou bastante reduzido. A Ford teve que optar por isso a fim de instalar as baterias no interior do veículo.

Ao que parece, a Ford modificou o modelo devido às vendas baixas de seu antecessor até o momento: apenas 7 mil unidades, contra 100 mil modelos do Leaf vendidos. Sendo assim, a empresa aposta que seu novo Focus 100% elétrico vá conquistar mais usuários, principalmente os que pretendem rodar nas cidades, sem se preocupar com espaço amplo no porta-malas, nem chamar a atenção com designs "diferentões".

O carro chegará primeiro nos Estados Unidos. Futuramente, poderemos ver a linha elétrica da Ford sendo vendida também no Brasil, mas para isso, é preciso amadurecer a regulamentação, inclusive no que tange os pontos de recarga espalhados pelas ruas — realidade que, no Brasil, ainda está bem distante dos países desenvolvidos.

Via Hipertextual

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.