Fábrica da Tesla começa a ser investigada por acidentes de trabalho

Por Felipe Demartini | 19 de Abril de 2018 às 12h39
TUDO SOBRE

Tesla

A Tesla está na mira de uma comissão do governo dos Estados Unidos, que quer saber sobre possíveis violações de segurança em uma de suas fábricas. A unidade da companhia na cidade de Fremont, no estado americano da Califórnia, é uma das envolvidas na produção do Model 3, o primeiro veículo elétrico produzido em massa pela companhia, e, também, cenário de alguns acidentes sérios com trabalhadores.

A investigação foi iniciada nesta quarta-feira (19) após uma inspeção no local. De acordo com a Administração de Saúde e Segurança Ocupacional do governo californiano, a Tesla teria perdido o prazo para entregar documentos e relatórios relacionados aos acidentes ocorridos no local, o que levou à abertura de um inquérito. Para os responsáveis pela análise, a companhia estaria tentando fazer o local “parecer mais seguro do que realmente é”.

Não coincidentemente, a unidade de Fremont é uma das que recentemente tiveram um aumento considerável em seu fluxo de produção por conta da fabricação em massa do Model 3. Fruto de uma grande campanha de pré-vendas e encomendas que não apenas garantiam acesso preferencial ao carro, mas também financiariam sua própria fabricação, o veículo gerou o que o fundador Elon Musk chamou de “inferno”, com a possibilidade de a montadora não ser capaz de fornecer a quantidade prevista.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Entre problemas com esteiras rolantes e falhas em sistemas automatizados, que, segundo Musk, o levaram a enxergar a mão-de-obra humana com novos olhos, a Tesla já conta com a possibilidade de atrasar as entregas. O ideal seria manter um fluxo de produção de cinco mil veículos por semana até o início do segundo semestre, algo que já parece um sonho impossível. Hoje, de acordo com o fundador, a capacidade da empresa é de duas mil unidades neste período.

Sejam oriundos desse tipo de questão ou não, os relatos de problemas na unidade de Fremont já são antigos. Em março deste ano, por exemplo, vieram à tona relatos de que pelo menos três trabalhadores teriam se ferido devido a problemas na fábrica, enquanto, no início deste mês, um incêndio no setor de pintura obrigou a suspensão temporária de todas as operações no local. As reclamações, porém, vêm desde maio do ano passado, quando funcionários declararam que as condições de segurança do local não eram as mais adequadas.

Na ocasião, Musk refutou as afirmações dizendo que a Tesla não funciona como a maioria das empresas capitalistas, que visam apenas o lucro em detrimento da saúde de seus funcionários. Sobre a investigação, entretanto, a palavra veio por meio de um porta-voz, que disse estar trabalhando com as autoridades para fornecer as informações necessárias.

Entretanto, na declaração, veio mais uma negativa sobre a situação de segurança. No texto, a Tesla lembrou que jamais recebeu nenhum tipo de notificação por problemas de segurança em suas unidades e sempre registrou os acidentes ocorridos de maneira adequada e precisa. A empresa não comentou a alegação do governo de que estaria dificultando a entrega de papéis relacionados a esse assunto.

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.