Ex-funcionário da Apple alega inocência após ser acusado de roubar segredos

Por Felipe Demartini | 17 de Julho de 2018 às 09h59
Tudo sobre

Apple

Um ex-funcionário da Apple, acusado de roubar segredos das pesquisas da empresa com carros autônomos, alegou ser inocente em uma audiência realizada nesta segunda-feira (16). Xiaolang Zhang compareceu diante de um juiz na cidade de San Jose, nos Estados Unidos, e negou o furto de documentos confidenciais da Maçã.

O caso teria ocorrido entre dezembro de 2015 e maio de 2016, época em que Zhang trabalhou para a Apple testando placas-mãe que seriam usadas nos carros autônomos da companhia. Após furtar os documentos, ele teria passado os segredos industriais da Maçã para a Xiaopeng Motors, uma montadora de veículos ligada ao e-commerce Alibaba e, justamente, grande braço da gigante chinesa no desenvolvimento de veículos que se dirigem sozinhos.

Zhang foi preso no dia 10 de julho em um aeroporto em San Jose enquanto tentava fugir dos Estados Unidos – ele estava proibido de fazer isso até a conclusão dos inquéritos, que estão sendo liderados pelo FBI. A tentativa de escapar agravou a situação do acusado em um caso no qual ele é indiciado por roubo e espionagem industrial, podendo receber sentença de até 10 anos de prisão e multa no valor de US$ 250 mil.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Como parte da investigação, dados internos da Apple foram encontrados no laptop e smartphones do ex-funcionário, bem como no computador da esposa de Zhang. Ao todo, mais de 40 GB de informações teriam sido baixadas por ele em seus últimos dois dias trabalhando para a Maçã. Foi a empresa quem notificou o FBI sobre o possível caso de espionagem industrial, depois que o colaborador pediu demissão voluntariamente.

Na audiência, ele voltou a dizer que suas relações com a Xiaopeng Motors não envolvem a venda de segredos industriais, mas sim uma oferta de emprego. Ele teria, inclusive, avisado seu superior, enquanto ainda trabalhava na Apple, sobre a possível mudança de empresa e também de país – foi isso, inclusive, que levou a companhia de Cupertino a vasculhar os dispositivos de trabalho do colaborador em busca de indícios de furto de informações.

Ele explicou o download de documentos confidenciais para o computador de sua esposa como parte de seu trabalho, afirmando que queria ter acesso aos dados enquanto estivesse em casa. O acusado negou qualquer tentativa de venda ou transmissão dos segredos para companhias rivais, uma alegação confirmada pela Xiaopeng Motors em declaração oficial.

Zhang permanece detido, mas pode deixar a prisão com o pagamento de fiança no valor de US$ 300 mil. Enquanto isso, tanto a Apple quanto a Xiaopeng dizem estar cooperando com as autoridades na investigação. Ainda em comunicado, a montadora chinesa afirmou levar as leis de direitos autorais a sério e cumprir todas as normas tanto dos Estados Unidos quanto da China em sua operação, desejando ver seu nome limpo e livre de qualquer envolvimento em casos desse tipo.

Fonte: South China Morning Post

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.