Elon Musk afirma que Tesla terá carros autônomos em dois anos

Por Redação | 23.12.2015 às 12:55

Em entrevista à revista Fortune, o CEO da Tesla, Elon Musk, disse que sua montadora está a apenas dois anos de desenvolver veículos completamente autônomos capazes de operar em segurança sem a necessidade de um motorista. "Eu acredito que temos todas as peças", disse o executivo.

Há alguns meses, a Tesla lançou uma atualização de software para seus veículos elétricos que oferece um sistema de "piloto automático" que permite ao automóvel desempenhar algumas funções sem ajuda do motorista. Para entender melhor como o update é importante para a empresa de Musk, é preciso saber alguns detalhes em relação ao mercado de veículos capazes de dirigir sozinhos.

Atualmente, o departamento de Administração de Segurança do Tráfego em Rodovias Nacionais dos Estados Unidos (NHTSA) define os veículos autônomos em cinco níveis; no nível 0, o motorista tem o controle total do veículo, enquanto no nível 4 o veículo assume todas as funções e monitora as condições rodoviárias de segurança necessárias para realizar uma viagem completa.

  • Nível 0: O motorista tem o controle completo e exclusivo dos Controles de veículos primários - freios, direção, aceleração e força motriz - em todos os momentos.
  • Nível 1: Funções específicas de automação. Envolve uma ou mais funções específicas de controle, tais como freios pré-carregados, onde o veículo ativa os freios automaticamente.
  • Nível 2: Automatização de pelo menos duas funções de controle primário. Por exemplo, o controle de cruzeiro adaptativo (acelera e freia o veículo sem a interferência do motorista) com o assistente de centralização na faixa (LCA).
  • Nível 3: O motorista pode ceder o controle completo de todas as funções de condução críticas para a segurança sob determinadas condições ambientais e de tráfego. O condutor deve estar disponível para assumir o controle ocasionalmente.
  • Nível 4: O veículo é projeto para executar todas as funções de condução críticas para a segurança e monitorar as condições de estrada para a viagem. Isso inclui veículos ocupados e desocupados.

A maioria das montadoras e empresas de tecnologia, incluindo o Google, está no nível 1, e muitos fabricantes de veículos de luxo, como a Volvo e a Tesla, estão no nível 2. O piloto automático lançado pela Tesla impulsionou a empresa neste gráfico de níveis de automação.

A versão 7 do Autopilot da Tesla está disponível para os modelos S e X. De acordo com a companhia, o update não faz o carro ser totalmente autônomo, mas garante à máquina se orientar por uma estrada, mudar de pista e ajustar a velocidade em resposta ao trânsito à sua volta — como ativar os freios automaticamente, por exemplo. Além disso, o sistema inteligente pode emitir alertas para evitar possíveis colisões frontais nos acostamentos.

Quando questionado sobre o futuro desta tecnologia, Musk preferiu não revelar muitos detalhes, pois disse que "seria um grande anúncio". Mas ele disse onde tudo isso vai terminar: "acho que teremos autonomia completa em aproximadamente dois anos".

No entanto, isso não significa que veremos carros da Tesla sem motorista circulando pelas ruas em 2018, principalmente devido aos órgãos reguladores. O executivo prevê que os reguladores vão demorar cerca de um ano para determinar o que é seguro e aprovar a tecnologia. Em algumas jurisdições, isto pode levar cinco anos ou mais, disse Musk.

Polêmica com o hacker Geohot

Apesar de afirmar que criar veículos autônomos "é um problema muito mais fácil do que as pessoas pensam que é", Musk faz questão de dizer que a coisa também não é tão simples quanto apresentada por George Hotz, o hacker responsável pelo jailbreak do iPhone e que recentemente disse ter criado um carro que dirige sozinho em sua garagem em cerca de um mês. "Não é um problema de um cara em três meses. Você sabe, é mais como milhares de pessoas durante dois anos", disse o CEO da montadora.

A Tesla já havia se manifestado oficialmente sobre o assunto na semana passada por meio de um comunicado publicado em seu site. A mensagem dizia:

"Nós pensamos que é extremamente improvável que uma única pessoa ou mesmo uma pequena empresa que não tem alta capacidade de engenharia será capaz de produzir um sistema de condução autônoma que pode ser implantado numa produção de veículos. Ele pode funcionar como uma demo limitada em uma estrada conhecida – um sistema que a Tesla já tinha há dois anos – mas adaptar isto a milhões de milhas de estradas diferentes requer recursos enormes. Este é o verdadeiro problema da autonomia: conseguir um sistema de aprendizagem de máquina que seja 99% correto é fácil, mas fazer com que ele seja 99,9999% correto é muito mais difícil".

Via Fortune