Blue Origin faz novo lançamento nesta quarta (e prevê explosões); assista!

Por Redação | 04 de Outubro de 2016 às 23h44

Alguns grandes figurões da indústria tech são conhecidos por aventurarem-se em setores específicos bastante "fora da caixa". Um deles, por exemplo, é o CEO da Tesla, Elon Musk, que também tem uma empresa de exploração espacial, a SpaceX. O outro é Jeff Bezos, CEO da Amazon e dono da Blue Origin, outra companhia que vem investindo pesado no ramo dos foguetes.

E, agora, um dos foguetes da companhia de Bezos começa sua fase de testes de segurança, rumo à corrida espacial comercial. Nesta quarta-feira (5), a empresa vai lançar seu foguete reutilizável Space Shepard pela quinta vez, e, acredite: o objetivo não é aterrissá-lo. A Blue Origin, desta vez, quer ver se a cápsula que abriga a tripulação vai resistir a acidentes, em uma manobra de emergência prevista para ocorrer a 16 mil pés de altitude. Ou seja: prepare-se para ver muito fogo e fumaça cortando o céu do deserto do Texas nesta manhã.

A empresa confia no sistema e quer trabalhar sua segurança o máximo possível. A Space Shepard, aliás, é a plataforma de turismo espacial da companhia, que assim que tiver resultados positivos em seus testes, passará a vender bilhetes para quem quiser passear acima da estratosfera. O mais importante é trazer os turistas espaciais com vida de volta à Terra, e é por isso que a Blue Origin vem fazendo tantas experiências com seus módulos.

Simulação da Blue Origin explicando o funcionamento de foguetes

Portanto, se você quiser assistir ao lançamento de teste, é só acompanhar neste link, a partir das 11h45 (horário de Brasília). Vale lembrar (caso você já não saiba, claro) que lançamentos de foguetes sempre contam com explosões, uma vez que a combustão na parte inferior do veículo é o que o impulsiona em direção ao espaço. Um módulo se desacopla do outro, que segue seu caminho estratosfera acima, enquanto o primeiro, que gera o impulso, explode.

O que se espera do teste é que cápsula que contém a tripulação se destaque do primeiro módulo e que um motor dedicado, localizado na parte inferior dela, entre em combustão por aproximadamente dois segundos. Quando a cápsula finalmente atingir uma distância segura do foguete, os paraquedas deverão ser ativados e todos os manequins a bordo deverão chegar à Terra em segurança. O que não pode acontecer é a coisa toda pegar fogo durante o lançamento, o que significa mais um longo caminho de testes para a Blue Origin. Torçamos para que tudo dê certo, pois sendo assim, o serviço de passeio espacial já deve começar a funcionar em 2017.

Fonte: Blue Origin, via Wired