Trem que não para nunca poderia reduzir tempo das viagens no transporte público

Por Redação | 05 de Dezembro de 2013 às 07h45
photo_camera Divulgação

Todos os dias surgem novas tecnologias para facilitar a vida do usuário morador de grandes cidades, principalmente aqueles que usam o transporte público para se mover entre um ponto e outro da metrópole. Um dos problemas enfrentados por esses veículos é o tempo gasto em cada parada, que pode adicionar um tempo considerável na viagem dos passageiros.

E se os usuários embarcassem em um transporte que não para nunca? A ideia pode parecer confusa, já que o veículo precisa "estacionar" para que as pessoas possam subir nele. Mas os chineses pensaram em um trem com um sistema que não o obriga a parar nas estações para transportar os passageiros. Saiu na revista VICE.

O primeiro conceito desse projeto surgiu em 2010 e foi desenvolvido pelo designer chinês Chen Jianjun. Funciona assim: os usuários entram na estação e embarcam em uma cabine que aguarda a chegada do trem. Quando ele se aproxima, a cabine se fecha e é "plugada" na parte superior do trem assim que ele passar pela estação, sem que seja preciso reduzir sua velocidade. Na hora do desembarque, o processo é o inverso: assim que chegar perto da estação, a cabine se desloca até o final do trem - que continua sua viagem - e para na área da plataforma para que os passageiros possam descer.

O tempo de parada da cabine é muito maior do que o praticado por um trem convencional, permitindo que as pessoas entrem e saiam de maneira organizada e segura do compartimento. Assista ao vídeo da demonstração:

Já em 2011, um outro projeto similar ganhou destaque. Desenvolvido pela empresa de design Priestmangoode, o conceito é o mesmo: plataformas modulares que se encaixam nos trens em movimento que nunca param de andar. Neste caso, a ideia é criar um sistema ferroviário que contorne a cidade e conecte-se às cápsulas com os passageiros vindos da metrópole. Ao se aproximar do trem, a cabine cria um pequeno corredor que permite o transporte dos usuários de um compartimento para o outro.

Paul Priestman introduces Moving Platforms from Dezeen on Vimeo.

É claro que as duas ideias são apenas conceitos que sequer saíram do papel. Além de serem tecnologias muito caras, seria necessário readequar todo o sistema de transporte das cidades para esse novo mecanismo - o que levaria tempo e criação de novas infraestruturas. Fato é que ambos os projetos possuem objetivos para tornar as viagens em trens e metrôs muito mais rápida e confortável, especialmente em cidades com milhões de habitantes.

Mais próximos da nossa realidade, outros dois projetos estão em andamento no Japão e Estados Unidos. No oriente, a Central Japan Railway Co. (JR Tokai) revelou um protótipo de trem flutuante capaz de atingir velocidade máxima de 500 quilômetros por hora. Trata-se de um trem de levitação magnética que flutua sobre sua linha férrea com a ajuda de imãs super potentes. Já os norte-americanos apresentaram em agosto o Hyperloop, um veículo terrestre movido por energia solar que pode se movimentar na mesma velocidade do som.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!