Europa tem plano secreto de sistema que desliga qualquer carro remotamente

Por Redação | 03 de Fevereiro de 2014 às 19h13
photo_camera Divulgação

Assim como os computadores e celulares, os carros estão cada vez mais modernos e equipados com acessórios conectados. São painéis, ferramentas, GPS, suporte para internet e outros recursos que transformam os veículos não apenas em um meio de locomoção, mas também em verdadeiras centrais de conteúdo.

O problema é que tanta tecnologia pode chamar a atenção de criminosos nas ruas, e mesmo certas proteções, como alarmes e blindagem, não parecem ser suficientes. Contudo, a União Europeia tem um projeto que promete amenizar situações de risco em que o carro do usuário acaba sendo roubado, ou até durante perseguições policiais para capturar bandidos em fuga. Segundo o jornal britânico Telegraph, os europeus estão desenvolvendo um sistema que desabilita remotamente qualquer automóvel em circulação nas ruas.

O objetivo é implantar o mecanismo em todos os carros que saírem da fábrica até o final de 2020. Funciona assim: um policial ficaria encarregado de ficar em um centro de comando que monitora os veículos em tempo real. Apertando apenas um botão, esse mesmo policial teria o poder de desabilitar por completo o motor do carro em questão, sem precisar da autorização do motorista. Se o suspeito ainda tentar fugir, a central também pode interromper o fornecimento de combustível e desligar a ignição.

Apesar da tecnologia já estar em fase de testes, a previsão é que seu funcionamento entre em operação daqui a seis anos. A medida, de acordo com documentos secretos de autoridades policiais da União Europeia, foi desenvolvida para substituir os métodos antigos e atuais de perseguição usados no continente, como colocar objetos pontiagudos na pista para furar os pneus dos assaltantes, além de evitar colocar a vida dos policiais em risco.

"Carros em alta velocidade podem ser perigosos para o cidadão. Bandidos vão assumir riscos para escapar de um crime. Na maioria dos casos, a polícia é incapaz de perseguir os criminosos pela falta de recursos para parar o veículo com segurança", diz um trecho do documento vazado.

Mesmo com a intenção de evitar perseguições na estrada e recuperar veículos roubados, o sistema tem preocupado grupos que defendem os direitos à privacidade dos usuários comuns. Alguns políticos também se mostram contra a implementação do mecanismo, que, segundo eles, pode atingir de forma drástica a liberdade e democracia dos motoristas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.