Elon Musk: 'no futuro, carros controlados por motoristas humanos serão ilegais'

Por Redação | 18.03.2015 às 07:52
photo_camera Divulgação

No futuro, os carros controlados por seres humanos poderão ser considerados como obsoletos e até se tornar ilegais. Pelo menos é essa a visão do fundador da Tesla Motors, Elon Musk, que acredita que os automóveis das próximas décadas serão mais inteligentes, seguros e com um maior poder de percepção do trânsito do que os motoristas dos dias de hoje.

A declaração foi feita durante uma conferência da NVIDIA em San Jose, na Califórnia (EUA), onde Musk discutou os rumos da mobilidade urbana com Jen-Hsun Huang, CEO da fabricante de peças para computador. Para o executivo sul-africano, carros que podem dirigir sozinhos representam o futuro da indústria automobilística, uma vez que a tecnologia dos softwares de bordo está sendo aprimorada ano após ano.

Claro que essa tecnologia ainda está sendo aprimorada. Musk declarou que, embora os modelos autônomos já sejam suficientemente avançados para circular em vias menos movimentadas, os mecanismos que equipam essas máquinas passarão por melhorias por pelo menos três anos. Só então é que os primeiros veículos que se autoconduzem de forma segura começarão a ser vendidos e apresentarão um risco menor de acidentes do que motoristas de carne e osso.

Outro ponto discutido por Musk é que uma das partes mais difíceis dessa indústria é prever o que acontece quando os veículos autônomos viajam a uma velocidade entre 25 e 80 quilômetros por hora. De acordo com o empresário, é complicado adaptar os carros a diferentes situações na pista - a maioria delas de forma inesperada -, como buracos, tampas de bueiro abertas, crianças atravessando a rua e ciclistas. Por isso, Musk afirma que os carros autônomos receberão atualizações de software frequentes, como acontece nos sistemas operacionais para PCs e dispositivos móveis.

"[Chegará o tempo em que] Podem proibir carros dirigidos por motoristas humanos por serem muito perigosos. A autonomia [de um carro] está relacionada ao nível de confiabilidade e segurança que você quer", disse.

Elon Musk

Jen-Hsun, CEO da NVIDIA, e Elon Musk, CEO da Tesla Motors, em conferência em San Jose, na Califórnia. (Foto: Divulgação/NVIDIA)

Mesmo apostando nos carros sem motorista, Musk alega que será preciso implementar não apenas sistemas e softwares de segurança, mas também componentes na parte física dos automóveis. Alguns desses equipamentos são aqueles encontrados em veículos comuns, como volante e pedais. Isso levando em consideração que, como qualquer computador, os sistemas presentes em um carro podem falhar. Neste caso, é necessário dar opções para que o motorista possa assumir o controle do automóvel e evitar possíveis acidentes, além de oferecer mais comodidade ao condutor.

A perspectiva do CEO da Tesla é ambiciosa. Como informa o The Verge, Musk acredita que, quando os primeiros veículos desse tipo chegarem ao mercado, haverá ainda um longo período até que as pessoas se acostumem ao novo formato de condução. "Carros que dirigem sozinhos vão levar 20 anos para substituir os carros normais", disse.

A Tesla, conhecida por fabricar modelos elétricos, já começou a se mexer na produção de versões autônomas. Além da companhia de Elon Musk, outras empresas do ramo de tecnologia estão investindo no setor, incluindo Audi, BMW, Google e possivelmente a Apple.