Conheça a Gogoro e sua moto urbana elétrica inteligente

Por Redação | 06.01.2015 às 15:32

Com o início da CES 2015, a maior feira de tecnologia do mundo, as empresas começaram a anunciar suas novidades, gadgets, conceitos e estratégias, e uma delas já está chamando bastante atenção: a Gogoro, com sua scooter elétrica inteligente.

Criada por ex-executivos da HTC, e contando com ex-engenheiros da fabricante de smartphones taiwanesa, a companhia recebeu, em 2011, 50 milhões de dólares em investimentos, e 3 anos depois, mais 100 milhões (da fundadora da HTC), mas até então sem ter lançado nenhum produto, operando completamente em segredo até a manhã desta terça, 6 de janeiro, quando revelou na CES um produto muito interessante, com potencial para agilizar a mobilidade urbana em cidades congestionadas.

E assim foi apresentada a Smartscooter, uma scooter elétrica e inteligente que acelera de 0 a cerca de 50 km/h em 4,2 segundos, com velocidade máxima aproximada de 100 km/h. Com as duas células de bateria, ela tem uma autonomia de 160 Km, suficiente para rodar diariamente nas cidades. Obviamente, é um veículo urbano, e não para viagens longas.

Gogoro Smartscooter e Hub

Para fazer jus ao nome, a Smartscooter é realmente inteligente, trazendo uma enorme gama de sensores e recursos digitais. Ela vem com conexão com a internet utilizando a rede 3G/4G e 30 sensores monitoram todos os aspectos do veículo, como falhas mecânicas ou manutenções preventivas. Todas as informações são exibidas em um aplicativo para smartphones, e também no display da moto.

App Gogoro

Os sensores também monitoram a maneira como o motorista dirige, e com o tempo aprende os padrões para otimizar o desempenho. Por exemplo, se ao subir uma ladeira o usuário acelera demais de maneira a gastar mais energia, a moto avisa e dá dicas de como melhorar.

Uma chave Bluetooth trava e destrava a moto, além de abrir o bagageiro e identificar o usuário nas estações de recarga.

A parte mais interessante e também complexa do produto é o sistema de baterias, que funciona de maneira curiosa. Ao invés de você poder carregar a moto em casa, a Gogoro planeja uma rede de “estações de troca”, em que você coloca sua bateria vazia e recebe uma nova, completamente carregada. E quando a bateria da Smartscooter estiver perto de terminar, o aplicativo direciona o usuário à estação mais próxima.

Gogoro Hub

Essas estruturas, chamadas de hubs, são móveis e simples, e podem ser colocadas em qualquer lugar com uma tomada de 220 V. Uma boa distribuição dos hubs é primordial para o sucesso da companhia, e um dos fundadores explicou ao TechCrunch que pretende colocá-las em grandes centros metropolitanos, inicialmente em postos de gasolina, além de outros locais com um número potencial de usuários, como universidades.

As baterias são feitas com as mesmas células utilizadas nos carros da Tesla, pesam pouco menos de 10 Kg e são do tamanho de uma caixa de sapatos. A grande diferença entre a Gogoro e a Tesla é que o usuário não será o dono da bateria, mas pagará uma taxa mensal e terá direito de uso ilimitado ao serviço de trocas.

Baterias Gogoro Smartscooter

Se por um lado isso pode ser visto como desvantagem, dependendo do preço pode ser uma opção bastante econômica. No caso dos usuários da Tesla, o custo de troca de uma bateria (cuja longevidade é 8 anos) por uma nova pode chegar a 30 mil dólares.

Até agora tudo parece muito bom. Porém, falta um detalhe importantíssimo: o preço. A companhia ainda está estudando tanto o valor da moto quanto o da assinatura mensal para o serviço de recarga. Não se sabe quando nem em que mercados a novidade deve chegar primeiro.

A CES 2015 está só começando, e durante a semana inteira você ficará por dentro das tendências e novidades do mundo da tecnologia, acompanhando nossa cobertura completa do evento.

Fonte: http://www.theverge.com/2015/1/5/7484171/gogoro-smartscooter-electric-scooter-removeable-batteryhttp://techcrunch.com/2015/01/05/after-raising-150-million-in-stealth-mode-what-the-heck-is-gogoro/