Carros que dirigem sozinhos poderão reduzir 90% dos acidentes de trânsito

Por Redação | 25 de Outubro de 2013 às 18h35
photo_camera Divulgação

Fora daquele conceito mega futurista típico de filmes de ficção científica, a indústria de carros autônomos está crescendo aos poucos. Empresas como Volvo, Mercedes, Nissan e até o Google já trabalham há alguns anos em projetos de veículos que dirigem sozinhos, e que devem ser lançados até o fim da década.

Contudo, os automóveis inteligentes não foram pensados apenas para facilitar a vida do motorista, mas também para reduzir o número de acidentes ao volante. Nos Estados Unidos, a chegada de carros autocondutores pode, em longo prazo, diminuir a taxa de lesões e batidas em 90%. Além disso, a economia norte-americana poderia ter um corte de US$ 450 bilhões todos os anos graças aos novos veículos.

Os dados fazem parte de um relatório do Eno Center for Transportation, como relata o TechSpot. O relatório descobriu que 40% dos acidentes fatais nos EUA foram causados por motoristas que consumiram álcool ou drogas, ou que estavam distraídos ao volante. Mesmo nos casos em que o automóvel é o responsável pelo acidente – por uma falha mecânica, por exemplo –, os condutores parecem não prestar atenção na pista, nem no excesso de velocidade.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por outro lado, os carros que dirigem sozinhos devem evitar ocorrências devido ao sofisticado sistema com o qual são equipados, e claro, porque não são distraídos durante a viagem. No futuro, os veículos poderão detectar situações de risco e agir antes que elas aconteçam. As próprias estradas também terão tecnologia para auxiliar o automóvel com informações sobre trânsito, limite de velocidade, placas e outras regras.

O estudo ainda afirma que a adoção dos carros autocondutores vai desempenhar um papel importante na prevenção de acidentes e redução de dinheiro gasto pelos cofres públicos. Se um em cada dez carros for substituído por um veículo autônomo, por exemplo, a taxa de batidas e lesões ao volante cairia pela metade e economizaria US$ 25 bilhões ao ano.

Não se sabe quando os primeiros modelos de desses veículos chegarão ao mercado. As companhias que trabalham nessa tecnologia são muitas: Mercedes-Benz, que anunciou parceria com a Nokia, Volvo, que criou um sistema de estacionamento autônomo, Toyota e Audi, que revelaram seu protótipo na CES 2013, Nissan e o gigante das buscas Google.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.