Profissionais de TI: como ter sucesso na recolocação profissional

Por Colaborador externo | 21 de Setembro de 2017 às 13h11

Não é novidade que os processos seletivos vêm se tornando mais extensos, com uma análise mais cuidadosa de perfis e cada vez mais etapas a serem cumpridas para se chegar ao candidato “perfeito” para determinada vaga. Considerando este cenário de maior dificuldade na conquista de um cargo, a Contratado, plataforma de marketplace de talentos, preparou algumas dicas para que os profissionais da área da tecnologia tenham êxito durante um processo de recolocação profissional.

Prepare seu currículo com cuidado

O ideal é que o currículo seja organizado em uma página. Currículos de duas páginas estão cada vez mais raros no mercado, e os empregadores consideram a capacidade de síntese e priorização do candidato como parte da avaliação. É importante atentar à objetividade e boa escrita.

As habilidades a serem destacadas em cada descrição das experiências são de suma importância. E deve-se notar: essas habilidades devem estar relacionadas com a vaga de interesse. É como se o candidato devesse pensar sempre no que cada atividade, de cada uma das experiências anteriores, tem de atrativo para essa nova oportunidade.

O campo de experiência profissional deve ser dividido por empresa, e não por cargo. Por exemplo: se o candidato mudou de cargo na mesma empresa, isso não precisa ser colocado como outra experiência. Outro ponto importante é ser bem descritivo ao relatar as experiências profissionais, pois, em diferentes empresas, o mesmo cargo pode prever responsabilidades e rotinas diferentes.

Saiba como é o processo de seleção típico de desenvolvedor/programador

Após a seleção de currículos, a fase inicial parte de uma primeira conversa o entrevistador, que fala sobre a empresa e sobre a vaga, abordando a experiência do profissional - há casos em que esta primeira conversa não é presencial, mas por telefone ou videoconferência.

Caso o candidato siga para a próxima fase, os recrutadores aplicam uma prova técnica para testar suas habilidades. Por fim, superadas as fases anteriores, o concorrente à posição faz uma entrevista pessoalmente com o líder da equipe, que deve bater o martelo da decisão.

Esse processo pode ser bastante variável, dependendo do porte da empresa e da urgência da vaga.

Lembre-se de que cada empresa tem uma forma de selecionar seus candidatos  

Empresas maiores tendem a ter processos mais longos e burocráticos, com maior número de etapas e entrevistas presenciais obrigatórias, o que aumenta sensivelmente o tempo de duração dos processos seletivos. Já empresas menores e startups geralmente têm processos mais rápidos e dinâmicos, quase sempre administrados pela pessoa responsável pela vaga. Neste caso, utiliza-se bastante aplicativos de videoconferência e telefone em virtude da maior agilidade na hora de realizar uma entrevista.

Prepare-se para cada uma das etapas

Estudar sobre a empresa é essencial para se preparar para uma entrevista. Pesquise quais são seus valores, seu posicionamento de mercado, busque saber sobre a impressão de seus funcionários acessando o site e o Linkedin da companhia, que são fonte de informações bem ricas.

Exercite oralmente seu discurso para se expressar de forma clara e objetiva diante do entrevistador, além de treinar suas habilidades técnicas em sites e programas específicos. Tenha em mente que um projeto/trabalho anterior que você tenha realizado pode ser mais relevante para conquistar a vaga, então identifique alguns pontos importantes do projeto para salientar durante a entrevista.

Esteja pronto para as perguntas mais frequentes de uma entrevista técnica

Lembre-se que elas variam conforme o foco e habilidades do candidato e também de acordo com o projeto que tem a vaga em aberto. É comum perguntarem de projetos anteriores, dos quais o candidato tenha participado ou que ele tenha liderado, que queiram saber com quais linguagens e frameworks ele possui mais experiência e facilidade de uso.

Também é comum questionarem como o candidato se sente em relação a ter que aprender uma nova linguagem ou tecnologia.

Vista-se e porte-se adequadamente

A vestimenta varia de acordo com os valores e cultura de cada empresa e área. Grandes empresas geralmente pedem uma vestimenta formal, enquanto startups, por exemplo, prezam pela informalidade e não se importam se o candidato vai à entrevista de tênis. De qualquer forma, o candidato deve se atentar à regras comuns de etiqueta, ser objetivo e transparente com a empresa, de forma que ambas as partes possam mostrar os seus perfis da melhor maneira. Caso não tenha certeza qual é o perfil da empresa, opte pelo tradicional: vá de roupa social.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.