IBM teria demitido mais de 20 mil pessoas acima dos 40 anos

Por Felipe Demartini | 23 de Março de 2018 às 09h51
TUDO SOBRE

IBM

Uma série de documentos internos vazados, processos que estão sendo movidos na justiça e registros públicos mostram que a IBM pode ter demitido mais de 20 mil funcionários acima dos 40 anos de idade só nos últimos cinco anos. Seria, afirma a agência ProPublica, responsável pela revelação, um esforço para reduzir os custos e “rejuvenescer” a empresa diante da competição ferrenha com outras companhias de tecnologia.

Os números representam cerca de 60% dos cortes realizados desde 2013, com uma boa parcela dos funcionários sendo demitidos devido à posse de habilidades “defasadas”, que não se encaixavam com os rumos da companhia. Entretanto, muitos dos dispensados teriam sido recontratados pela companhia logo depois em um regime diferente, mas para fazer o mesmo trabalho com menos benefícios e recebendo salários menores.

A IBM também teria incentivado funcionários a se demitirem e levou muitos deles a, até mesmo, treinarem seus próprios substitutos. Ao mesmo tempo, eles eram incentivados a buscarem espaço em outros setores da companhia, enquanto diretores de outros departamentos eram instruídos a não aceitarem reposicionamento profissional desse tipo. Muitos dos empregados atingidos pelos cortes estavam perto de completar duas décadas de serviços para a companhia.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em outros casos, a companhia teria criado programas de incentivo à aposentadoria, ao mesmo tempo em que trabalhava com gestores para dificultar o trabalho de executivos de mais idade, “forçando-os” a abandonar o trabalho. Tal aspecto faz a ProPublica pensar que o número de dispensados seria ainda maior, mas como tais eventos não contam como demissões, eles não fazem parte das estatísticas.

O levantamento compreende apenas os Estados Unidos, onde uma lei antidiscriminação etária assinada em 1967 protege funcionários acima dos 40 anos de demissões cujo motivo principal seria, justamente, a idade. Pela legislação, pessoas que ultrapassam essa idade não podem ganhar menos, terem promoções impedidas ou sofrerem qualquer sanção relacionada à faixa etária.

Para evitar problemas judiciais, a IBM teria negado aos dispensados informações sobre o motivo da demissão, alegando apenas baixa performance ou problemas de discordância, além de solicitar que muitos deles, principalmente os de cargos gerenciais ou que possuíam salários mais altos, assinassem um termo afirmando que não iriam processar a companhia na justiça trabalhista.

Em declaração oficial, a IBM negou as acusações e disse que respeita todas as leis federais dos Estados Unidos. A empresa disse ainda que é a “única companhia de tecnologia” a ter mais de 100 anos de existência, sempre trabalhando com todo o apoio e orgulho à sua força profissional.

Entretanto, para a ProPublica, os indícios de comportamento desse tipo datariam de anos no passado. A agência encontrou, por exemplo, um manifesto de 2006 sobre a força de trabalho mais velha que até afirmava que as “cabeças brancas” eram necessárias para a empresa, mas que funcionários mais jovens seriam, inevitavelmente, mais inovadores e receptivos a mudanças e novas tecnologias.

As afirmações abrem precedente para processos judiciais contra a IBM devido à discriminação contra sua força de trabalho, com direito, inclusive, a ações de classe que podem custar milhões de dólares para a empresa. Os relatos se concentram especificamente sobre os Estados Unidos, o que não significa que as mesmas ações não tenham sido realizadas em outros países nos quais a companhia tem atuação, possuam eles leis contra a discriminação por idade ou não.

Fonte: ProPublica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.