Riqueza digital: empacotar e vender conhecimento

Por Colaborador externo | 02.09.2014 às 09:27

Por Conrado Adolpho*

Quais os conhecimentos que você possui? Quem se interessaria em ouvir o que você tem a dizer? Quanto vale o que você sabe a cerca de um determinado tema? As respostas para essas perguntas podem ser a chave para o sucesso profissional. A economia online é muito mais complexa e merece uma atenção especial pelas suas especificidades.

Mas quando desvendadas é possível reduzir o tempo dedicado ao trabalho proporcionando a mesma renda familiar. E a solução é simples: empacotar e vender conhecimento. Partindo do princípio que você estudou, se aprimorou em torno de alguma área, conclui-se que o dinheiro está acumulado em você. Ou seja, essas informações possuem grande valor e devem ser repassadas as pessoas que precisam delas. Atualmente, vivemos em uma sociedade que busca respostas o tempo inteiro por meio de conhecimentos compartilhados nas mídias digitais. Isso explica, inclusive, a quantidade de negócios que giram em torno dos blogs. Dicas e sugestões nunca valeram tanto dinheiro como na era da informação.

Nesse contexto, anúncio gera relacionamento e não venda direta como muitas pessoas creem. O trajeto funciona assim: a pessoa vê o anúncio, clica e é direcionada para uma página onde contém uma prévia sobre o que é o produto. Interessados, fazem o cadastro e passam a receber diariamente conteúdos sobre aquele determinado tema. Depois de um período, que pode ser cinco dias ou mais, é enviado um link de compra que acompanha um vídeo explicativo que irão apoiar a questão: porque pagar pelo produto? Quando a venda é concluída, entrega-se um link com login e senha que dará acesso ao material completo. Como o processo inteiro é feito por envios de e-mails, a atuação é prática e ágil, assim como o alcance dos resultados. Entretanto, exige muita dedicação.

O primeiro passo é aprender o vocabulário desse novo negócio que é o empreendedorismo digital. Essa concepção muda totalmente a economia quando se diminui o risco e aumenta-se o retorno, uma nova maneira de entender e conceituar a riqueza, levando em consideração que o dinheiro chegará até você de forma automática.

Sempre haverá pessoas clicando. Segundo uma pesquisa do IBOPE Media, o número de pessoas com acesso à internet no Brasil chegou a 105,1 milhões no segundo trimestre de 2013. O PNAD mostra, ainda, que o aumento no número de internautas foi verificado em todas as faixas etárias. Com base nesses dados, existem milhões de pessoas no espaço digital para serem atraídas para o seu negócio.

Com números e estatísticas reforçando o potencial desse mercado, a minha sugestão como especialista em desenvolvimento de negócios digitais é esteja atento as demandas, buscar cursos que te apoiem nesse sentido com dicas, orientações e, claro, o mais importante, técnicas é essencial para estruturar-se e te ajudar a ganhar dinheiro fazendo o que se sabe fazer e, melhor, o que te dá prazer em fazer. Aliás, antes de tudo isso, identifique o você quer; entregue sempre mais; acredite nas suas ideias; pratique o exercício de ouvir; estipule metas; seja objetivo e focado. Comece pequeno, pense grande e caminhe depressa. Assim os resultados irão te surpreender. Eu garanto!

* Conrado Adolpho é especialista em desenvolvimento de negócios digitais e mentor de empreendedores que desejam potencializar seus empreendimentos por meio da internet e estratégias de vendas online e off-line. Fundador da editora digital Webliv, que desenvolve cursos e comunicação online neste segmento e faturou R$ 3 milhões em 12 meses de operação, Conrado é autor dos livros Os 8Ps do Marketing Digital – que está na lista dos 10 mais lidos no Brasil – e do e-book iJumper – o novo empreendedor da economia digital.