Para jovens, salário não é o mais importante ao entrar no mercado, diz pesquisa

Por Redação | 08.09.2014 às 12:10
photo_camera Divulgação

A Universum realizou uma pesquisa para entender quais são os atributos mais valorizados pelos jovens em uma empresa na qual desejam trabalhar. Após entrevistar 64,4 mil universitários brasileiros, a pesquisa mostrou que um salário inicial competitivo não está entre os requisitos mais desejados.

O estudo identificou que a geração Y brasileira, muitas vezes vista como imediatista, pensa no longo prazo na hora de iniciar a vida profissional. Em outros países onde a pesquisa foi realizada o cenário se inverte e os jovens desejam ter retornos muito mais rápidos.

Além de pensarem mais no longo prazo, os jovens brasileiros estão entre os únicos de vários países onde a remuneração não aparece entre os dez atributos mais atrativos para quem ainda está na universidade.

Entre os jovens, o atributo que ganhou mais atenção foi ser uma boa referência para o futuro da carreira (60,60%), seguido por empresas que valorizam treinamento profissional e desenvolvimento (55,20%) e caminho livre para a ascensão profissional (53,70%) em terceiro.

Completando a lista com os demais sete itens estão: ambiente de trabalho criativo e dinâmico (51%), líderes que apoiem o desenvolvimento profissional (50,60%), meritocracia (48,20%), altos ganhos no futuro (47,70%), estabilidade no emprego (47,40%), respeito pelos funcionários (46,40%), e, em décimo, oportunidades de liderança (38,60%).

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/carreira/2014/09/o-que-as-empresas-dos-sonhos-tem-que-ter-segundo-os-jovens.shtml