Full Outsourcing de TI ganha espaço no Brasil

Por Colaborador externo | 10 de Julho de 2014 às 11h00

*Por Fabiano Pardini

O segmento corporativo no Brasil está passando por diversas mudanças nas últimas décadas. Com o advento da internet e da globalização, as empresas estão tendo de se adaptar às exigências de um novo tipo de cliente, mais rápido e sem muita tolerância a erros. Isso tudo acontece ao mesmo tempo em que essas companhias precisam atender a outras necessidades, como redução de custos e aumento da produtividade, a fim de se manterem vivas em um ambiente altamente competitivo.

Nesse ponto entra a Tecnologia da Informação. Imprescindível para diferenciar organizações inovadoras daquelas que não estão prontas para seguir concorrendo por um lugar ao sol, ela tem sido cada vez mais reconhecida pelo mercado brasileiro como uma grande aliada ao desempenho dos negócios. Mas, como escolher o melhor fornecedor? Como treinar a equipe? Como garantir o envolvimento dos usuários? Ao invés de se tornar uma solução, a TI muitas vezes se transforma em dor de cabeça.

É neste momento que a terceirização da infraestrutura de tecnologia vem ganhando espaço. É crescente o número de empresas que têm optado por delegar a operação de TI, para poderem concentrar a sua atenção em seu core business. Pesquisas de mercado confirmam esta realidade. Segundo o IDC, no ano passado só o outsourcing de TI no Brasil movimentou R$ 12 bilhões - um volume bastante significativo.

Mas, atualmente, a oferta de outsourcing que tem se tornado tendência é aquela que reúne em um único fornecedor as opções de hardware, software e serviços, o chamado Full Outsourcing. Ao optar por essa modalidade as empresas podem contar com uma ampla gama de opções que reúne todas as suas necessidades em infraestrutura de TI, desde servidores físicos e virtuais, comunicação unificada, mobilidade, segurança da informação, até data centers, desktops, dispositivos móveis, etc..

É importante ressaltar que para que os benefícios econômicos e operacionais do Full Outsourcing sejam concretizados, o fornecedor precisa estar devidamente preparado para cumprir com requisitos fundamentais como ter profissionais altamente qualificados e contar com parceiros especializados nas principais tecnologias utilizadas pelo mercado, capazes de fornecer soluções inovadoras para os negócios.

Outro ponto importante, além dos já citados acima, é que o conceito de outsourcing ponta a ponta também resolve o problema que as empresas enfrentam para contratar mão de obra de TI interna e também para gerir diferentes fornecedores.

Todos esses benefícios possibilitam que a partir da terceirização, as empresas partam para outro patamar, podendo se tornar mais eficientes e preparadas para os desafios do futuro, ampliando sua competitividade.

*Fabiano Pardini é Diretor de Operações e Serviços da Microcity.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.