EMC divulga pesquisa sobre "TI Confiável" e Brasil fica em quarto lugar

Por Redação | 21.11.2013 às 08:30 - atualizado em 21.11.2013 às 10:18

A EMC divulgou, em parceria com a Vanson Bourne, instituto de pesquisa independente, o resultado de um estudo feito com mais de 3.200 pessoas, 1.600 decisores de TI e 1.600 decisores de negócios. Os países foram escolhidos a dedo pela EMC. EUA, Brasil, China e África do Sul foram alguns deles – dezesseis ao todo.

O estudo revelou uma assustadora falta de confiança dos executivos nas empresas, especificamente em relação à prontidão quanto às exigências críticas de TI, disponibilidade, segurança, backup e recuperação de dados.

O resultado da pesquisa, divulgada nesta semana em todo o mundo pela EMC, vai direcionar as diretrizes da companhia no próximo ano. A EMC trabalha com as empresas VMWare e Pivotal, formando um elo com objetivo de não só vender o produto, mas de ter visão estratégica das necessidades de negócio e de TI dos clientes.

Esta atuação faz parte da trajetória da EMC desenhada para atuar em cloud computing, Big Data e o novo conceito de Trust IT, ou seja, a confiança na TI que passa a oferecer disponibilidade, segurança e backup de dados. A ideia da EMC é acelerar a adoção de novas tecnologias, mas sem deixar de lado a maturidade e confiança neste processo.

No Estudo Global da Curva de Confiança em TI (IT Trust Curve), a China liderou o ranking de maturidade: os tomadores de decisões de TI daquele país relataram a implantação da maior concentração de tecnologias sofisticadas de disponibilidade contínua, segurança avançada e de backup e recuperação de dados. Os EUA ficaram em segundo lugar. Três dos quatro países mais maduros, China, África do Sul (terceiro) e Brasil (quarto), são países do BRICS. O Japão classificou-se em último lugar na Curva de Confiança em TI.

Em comunicado à imprensa, David Goulden, presidente diretor de operações da EMC, afirmou que as quatro megatendências em TI são, atualmente, computação em nuvem, Big Data, redes sociais e dispositivos móveis. “A adoção dessas tendências deve flutuar sobre um mar de confiança, a confiança de que minhas informações estão seguras na nuvem, a confiança de que meus dados não serão perdidos ou roubados, a confiança de que minha TI será operacional quando necessário. Onde os países se situam na curva de maturidade de confiança em TI pode afetar sua capacidade geral para competir”, garantiu Goulden.

Ao todo, 57% de todos os entrevistados se situaram nas categorias de baixa maturidade, enquanto que apenas 8% ficam na categoria de Líder. Ao menos 61% das empresas sofreram algum tipo de problema relacionado à segurança, como inatividade imprevista, perda de dados ou coisas do tipo. A principal inquietação dos entrevistados em relação à segurança foi quanto aos acessos de aplicações de terceiros.

Infografico de pesquisa de TI