Carreira em TI, por onde seguir?

Por Colaborador externo | 01.10.2014 às 08:45 - atualizado em 01.10.2014 às 10:31
photo_camera Copyright: dotshock

Foto:dotshock/Shutterstock

*Renato Lopes

A carreira em TI tem um leque enorme de opções e costuma atrair muitos profissionais em busca de altos ganhos. Porém, poucos se atentam à grande jornada de empenho, dedicação e discernimento até conquistar o sucesso e reconhecimento que os fazem chegar a esses salários de encher os olhos.

Sempre digo que a vida em TI é uma grande ampulheta, onde você conhece genericamente vários fatores da área como infraestrutura, desenvolvimento, projetos e telecomunicações. Após se identificar com uma das áreas, você adentra mais um nível naquela vertente que escolher: tornar-se especialista. Sim, pois após conhecer de forma geral, você precisa se aprofundar em algo, ser conhecedor, pois não há como ser generalista nesse segundo estágio.

Essa segunda etapa, que comparo ao afunilamento da ampulheta, deve ser muito bem avaliada. A escolha por essa especialização deve ser muito bem alinhada ao seu talento ou algo que se identifique. Não caia na sabotagem do “vou por esse lado porque dá dinheiro...”. Se você se identifica e gosta da área, fará um bom trabalho e o dinheiro passará a ser consequência. Conversar com pessoas que já estão na área ou no cargo que almeja, pode te esclarecer muito sobre a real prática da descrição da função.

Outra dica que sempre dou em minhas palestras é olhar o “skill” necessário para o que você está buscando e se realmente acredita ter o perfil. Um exemplo são os programadores. Geralmente esses profissionais são pessoas introspectivas e analíticas, pois a programação requer concentração e uma interação mais homem-máquina. Outro exemplo, já na área de infraestrutura como suporte, a comunicação e didática de forma simples fazem com que você possa exercer essa função com maior facilidade, caso tenha mais afinidade com pessoas.

Outro fator que requer grande atenção, independente da área que você escolher seguir ou se especializar, é ser inquieto. Busque sempre conhecimento e maneiras de fazer algo diferente, mais rápido e melhor. Reinvente-se, pois o que é novo hoje pode não ser amanhã e será facilmente substituído. Precisamos acompanhar essa evolução quase que desenfreada para não ficarmos para trás.

Ser um especialista é o primeiro caminho para a gestão. Gerindo sistemas, infraestrutura e os projetos que a eles cabem, podendo inclusive liderá-los, faz com que você possa ter os contatos com a equipe do projeto, bem como garantir que todos executem as tarefas no prazo devido e com excelência. É neste estágio que você consegue saber se prefere ser um gestor ou um liderado no futuro, a partir da sua aptidão de gestão de tarefas, projetos e pessoas (mas isso é assunto para outro artigo).

Nesse momento de buscar a gestão, você sai da parte estreita da ampulheta e volta a abrir seus conhecimentos de forma macro e mais abrangente. Porém, falando de forma geral, com conhecimento de causa pela experiência adquirida, direcionando a equipe para uma evolução contínua e equilibrada, pois o conhecimento técnico para a execução a equipe terá, só precisa de alguém para auxiliá-los no caminho. E esse é um dos atributos do gestor: direcionar a equipe para o bem estar diário, para uma execução de qualidade.

*Renato Lopes é Gestor da área de TI e acredita que a humanização dessa área é a chave para conquistar equipes de alta performance e auto gerenciáveis. Palestrante e Professor Universitário, Renato busca compartilhar técnicas e soluções para formar times vencedores e entusiastas, buscando a qualidade de vida junto à satisfação do trabalho.