Brasil deverá obter US$ 430 bi em rendimentos com TIC em 2022

Por Redação | 09.10.2012 às 15:40

A Associação Brasileira de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) afirmou nesta segunda-feira (8) que estima que o Brasil deverá faturar com TIC aproximadamente US$ 430 bilhões (cerca de R$ 873 bilhões) em 2022, colocando o país na terceira posição no ranking mundial. As informações são do RCR Wireless.

Atualmente, o Brasil ocupa a quinta colocação, com rendimentos de US$ 212 bilhões (R$ 430 bilhões aproximadamente). "Temos como objetivo fazer as empresas usarem o TIC para dirigir seu desenvolvimento e crescimento", afirmou Antônio Gil, presidente da Brasscom durante a Global TI Forum, realizada na última semana.

O presidente afirmou que a associação está conduzindo um novo estudo sobre como as TICs podem ser implantadas em 12 setores diferentes da economia. O relatório final deverá estar pronto em menos de dois meses e irá avaliar a implantação das políticas em curto, médio e longo prazo.

Profissional de TI

O BNDES investiu no setor cerca de US$ 250 milhões

Globalmente, o mercado de TIC, excluindo in-house, deverá gerar US$ 4,2 trilhões (R$ 8,5 trilhões) em 2016, com a América Latina sendo responsável pela geração de US$ 453 bilhões (cerca de R$ 920 bilhões) do montante.

Maurício Borges, presidente da Agência Brasileira de Promoção de Investimentos (Apex-Brasil), afirmou em sua apresentação no fórum que existem cinco fatores importantes para a condução e o sucesso das TICs: capital humano e talento; infraestrutura e conectividade; empreendedorismo; finanças e promoção; e, por fim, comunicação digital.

Sobre os altos rendimentos esperados para 2022, Antônio Gil ressaltou a importância e a coordenação dos administradores mais relevantes no país, garantindo a expansão de programas existentes, a transparência e a responsabilidade para que cada programa consiga garantir resultados positivos.

O governo federal ainda citou os investimentos públicos em programas de tecnologia da informação, como o investimento fornecido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) de US$ 250 milhões (R$ 507 milhões).

No entanto, especialistas afirmam que, mesmo com as melhorias apresentadas no setor de TI brasileiro, o Brasil ainda precisa concentrar seus esforços para regulamentar o setor e a mão de obra qualificada, bem como lidar com os impostos e investir em infraestrutura.