6 oportunidades de programas de aceleração para startups no Brasil

Por Ares Saturno | 30 de Novembro de 2017 às 15h40
photo_camera público

Nossas gerações cresceram ouvindo que era difícil ser empreendedor no Brasil. Os impostos, as legislações, a burocracia e a falta de incentivo fiscal do Estado são algumas das questões mais debatidas quando o tema é o sofrimento empresarial no país.

Entretanto, nos últimos anos, vimos um aumento da importância dos empresários em início de carreira. Empresas particulares e também parcerias público-privadas perceberam que investimentos em tecnologia são sempre um bom negócio e apostar as fichas em equipes iniciantes com boas ideias na cabeça já é um modelo de empreender bem aceito pelo mercado. As startups nunca estiveram tão em alta quanto agora e as oportunidades de crescer estão pipocando.

Para fazer nossa parte para um país que facilita a vida do empreendedor, nós do Canaltech juntamos as seis melhores oportunidades para inscrever sua startup nos processos seletivos mais promissores que estão recebendo projetos. Fique de olho nos prazos e condições de inscrição e boa sorte!

1) Wayra (Grupo Telefônica)

A Wayra faz parte do Grupo Telefônica, responsável pela Vivo no Brasil

A Wayra é uma iniciativa ligada ao Grupo Telefônica que atua como aceleradora corporativa e já apoiou 64 startups, aplicando mais de R$ 100 milhões de reais junto com seus investidores. Especializada em investimentos de alto risco, está com inscrições abertas para um processo seletivo que vai avaliar startups das áreas de Cloud Computing, Segurança, IoT (Internet das Coisas), Big Data, Inteligência Artificial, Machine Learning, Blockchain, Smart Wifi, Fintech, Lawtech, Agtech, E2E (end to end), Mobile e Games.

As oportunidades da Wayra são para o seu programa de aceleração, que se iniciará no início de 2018. Serão analisados pelo comitê de especialistas o grau de desenvolvimento do produto ou serviço, sua validação no mercado e o modelo de negócios dos sócios, além de avaliar também se a empresa tem um produto ativo ou em teste e clientes pagantes pelos produtos desenvolvidos.

As startups que forem selecionadas vão receber o investimento financeiro, o acompanhamento de especialistas e vários benefícios voltados para parceiros, monitorias, treinamentos de pessoal, consultorias, acesso aos mentores executivos da Vivo e a investidores. Como contrapartida a todo o apoio prestado, a Wayra pede a participação minoritária nas ações das empresas por ela investidas.

“Buscamos empresas com um time incrível, que atuem em um mercado grande, resolvendo um problema relevante e que já tenham produto rodando com seus primeiros clientes”, comenta Renato Valente, gerente da iniciativa. Segundo ele, o perfil que a Wayra procura são startups que apresentem resolução para problemas reais e que tenham interesse em fazer negócios tanto com a Vivo e a Telefônica como com outras grandes empresas.

Inscrições:

De 6 de novembro a 4 de dezembro

Faça a sua inscrição através do site do projeto clicando aqui.

2) Eurofarma Synapsis e Endeavor

O programa Eurofarma Synapsis é resultado de uma parceria da farmacêutica com a Endeavor

O programa Eurofarma Synapsis é o resultado de uma parceria da Eurofarma com a Endeavor e deseja selecionar até doze startups que estejam consolidadas e em fase de crescimento. O projeto oferece conexões com executivos de alto nível da empresa farmacêutica, mentorias com a rede Endeavor e networking com outros empreendedores em estágios semelhantes. Além disso o programa oferece também informações e tendências no setor de saúde, coaching em áreas de suporte como marketing, vendas e logística, e o acesso à rede de relacionamento da Eurofarma, que conta com mais de 4 mil fornecedores, 1.500 clientes ativos e 600 mil médicos por mês, abrangendo todas as especialidades.

Se selecionada, a startup terá um mentor Endeavor para acompanhar o empreendedor nos desafios do seu negócio. Ao contrário da oportunidade na Wayra, o programa não investe financeiramente nas empresas participantes, mas também não exige equity nas ações da companhia.

O perfil das empresas procuradas pelo projeto são as que desejam oferecer soluções nas áreas de relacionamentos com grupos de interesse; eficiência em operação logística e administrativa; alternativas sustentáveis para a redução de resíduos, gasto de recursos e emissões de gases; inteligência de mercado e novos modelos de gestão de pessoas e treinamento de talentos.

Nas edições passadas do programa, mais de 200 empresas foram apoiadas pela iniciativa, somando mais de R$ 1,5 bilhão de reais em faturamento e com mais de 10 mil empregos gerados.

O programa terá duração de sete meses, iniciando em março de 2018.

Inscrições:

De 7 de novembro de 2017 até 9 de fevereiro de 2018

Para inscrever sua empresa, clique aqui.

3) StartOut Brasil

Quer ir pra fora? A StartOut Brasil pode te ajudar 

Essa oportunidade é para quem deseja internacionalizar sua startup e não sabe por onde começar. A iniciativa StartOut Brasil é uma parceria público-privada da Apex, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Indústria, Anprotec e Sebrae e deseja selecionar até 15 startups para participar de um ciclo de imersão em consultorias, mentorias e treinamentos de pitch.

Serão quatro diferentes módulos para compor o ciclo de imersão:

Na primeira fase, chamada de Seleção e Capacitação, as empresas interessadas devem se inscrever no programa e participar da avaliação pelo comitê de análise. Durante quatro a seis semanas, as empresas selecionadas receberão consultoria especializada em internacionalização dos negócios e treinamento de pitch através do programa.

Na segunda fase, que recebeu o nome de Missão, a empresa receberá um reforço do treinamento de pitch e terá ajuda para montar uma agenda de prospecção de novos clientes e investidores, com direito a visitas a aceleradoras parceiras. Tudo isso ocorrerá em viagens estrangeiras.

Ao voltar às terras brasileiras, é dado início à terceira etapa do projeto, batizada como Reconhecimento. É nessa fase que as startups receberão acompanhamento com consultores especializados em maximizar as oportunidades de negócios que apareceram durante a viagem.

Por fim, a última fase do processo, conhecida como Softlanding, concederá à empresa apoio para a instalação no país escolhido, inclusive no que tange a exportação do produto ou serviço desenvolvido.

Os critérios de escolha da banca examinadora são o grau de inovação dos projetos apresentados, além da capacidade de integração dos projetos ao ecossistema e maturidade das empresas.

Abaixo você pode ver um vídeo que traz mais informações sobre o StartOut Brasil: 

“O programa vai identificar oportunidades, além da capacitação, a mentoria e consultoria especializada e voltadas de acordo com as especificidades de cada empresa”, disse Heloisa Menezes, diretora técnica do Sebrae.

Ana Júlia Moreira é empresária responsável pela startup 4milk, que já participou do programa em edições passadas e diz: “Sou eternamente grata por nos permitirem vivenciar a primeira etapa da nossa internacionalização de forma tão estruturada, tão organizada.”

Os destinos firmados para o ano de 2018 são Berlim (Alemanha), Miami (EUA) e Lisboa (Portugal). As inscrições para o programa em Paris, na França, já foram encerradas.

Inscrições:

Serão abertas entre janeiro e fevereiro de 2018. A espera pelo edital pode ser monitorada através do site do projeto.

4) EqSeed

A Eqseed conecta sua startup aos investidores interessados

A Eqseed é uma fintech que conecta startups com investidores interessados e está em busca de cinco a dez empresas para concorrer a rodadas individuais de investimentos que vão entre R$ 300 mil e R$ 2 milhões de reais, já para o primeiro trimestre de 2018.

“Nosso foco são startups com modelos de negócios escaláveis com alto potencial disruptivo e de crescimento. Essas empresas devem estar em expansão, ter um produto pronto, além de tração comprovada e grande mercado alcançável. Serão avaliadas ainda suas equipes, assim como seu plano de negócios, que deve estar bem definido. E claro, fazemos um due diligence (i), verificando se a empresa não tem pendências ou dívidas”, explica Brian Begnoche, o economista e sócio-fundador da EqSeed. “Essas startups entendem que serão necessárias várias rodadas de investimento para atingir seu potencial no médio e longo prazo, e sabem que precisam de recursos para crescer e chegar no próximo patamar de receita”, afirma Begnoche.

Há vagas para selecionar empresas nas categorias de startups, com receita bruta de até R$ 100 mil reais e com investimentos individuais de R$ 250 mil até R$ 500 mil reais; empresas em fase de operação com receita bruta entre R$ 100 mil e R$ 1 milhão de reais para rodadas de investimento de R$ 400 mil a R$ 2 milhões de reais; e empresas em franca expansão com receita bruta entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões de reais para receber investimentos entre R$ 1 milhão e R$ 5 milhões de reais.

Inscrições:

Já estão abertas e podem ser feitas até o dia 17 de dezembro de 2017 pelo site da Eqseed

5)   Campus Party Brasil 2018

Mais de 160 startups serão selecionadas para participar do maior evento de tecnologia do Brasil

O Canaltech noticiou a oportunidade da Campus Party Brasil 2018 para startups aqui.

O programa Startup & Makers da Campus Party Brasil 2018 vai selecionar 80 startups que estão em fase inicial de projetos, mais 80 startups mais desenvolvidas e ainda desenvolvedores individuais com boas idéias para apresentarem suas criações no maior evento de tecnologia do Brasil. O intuito é dar visibilidade aos melhores projetos, que podem conseguir investidores durante a feira, além dos prêmios do concurso.

“O Startup & Makers é um programa criado em 2011 e que já ajudou mais de 1000 empresas embrionárias no país. Não se trata apenas de oferecer aos jovens empreendedores um espaço de exposição, mas sim uma oportunidade para trocarem contatos e conhecimentos, fazerem networking, participarem de mentorias e quem sabe encontrarem investidores, incubadoras e aceleradoras que costumam visitar a área atrás de potenciais novos negócios”, explica Tonico Novaes, o diretor geral da Campus Party Brasil.

As empresas serão avaliadas por um comitê que analisará cada uma das criações, levando em conta critérios como os modelos de negócios, experiência da equipe e conquistas por ela realizadas, grau de inovação que o projeto representa para o mercado tecnológico, possibilidade de se tornar um produto comercializável e diferenciais em relação a possíveis concorrentes, entre outros aspectos.

Inscrições:

Vão de 27 de outubro até 03 de dezembro e podem ser feitas através desse formulário aqui.

6) Fundo de Coinvestimento Anjo - BNDES

BNDES poderá investir individualmente até meio milhão de reais em startups brasileiras em 2018

O Fundo de Coinvestimento Anjo é uma iniciativa que nasceu com o intuito de apoiar startups dos setores de Agronegócios, Biotecnologia, Cidades Inteligentes, Economia Criativa, Nanotecnologia, Novos Materiais, Saúde e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Mantido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o novo fundo de investimento terá duração de dez anos.

Cada startup, se selecionada pela banca avaliadora, poderá receber investimentos de até 500 mil reais e deve atender ao perfil procurado pelo projeto, de empresas com receita líquida anual de até R$ 1 milhão de reais.

Inscrições:

Estarão abertas até o dia 12 de dezembro de 2017 e podem ser feitas pelo site do BNDES

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.