5 mitos sobre fazer dinheiro na internet

Por Carlos Ferreira
photo_camera The Plaid Zebra

Caso se deixe guiar pelos anúncios de dinheiro fácil internet afora, é possível que você acabe deslumbrado, acreditando que a fortuna se encontra logo ali na esquina e que todos estão ficando ricos (menos você). Por outro lado, ao seguir a torrente de céticos por aí afora - segundo os quais as promessas de dinheiro online seriam apenas um desfile de maracutaias à espera do primeiro trouxa -, não faltará a frustração de acreditar que o dinheiro está apenas nos empregos formais ou nos trambiques.

Como em praticamente tudo na vida, esses dois extremos jamais deveriam ser engolidos com farinha. Certamente é possível construir uma carreira sólida apenas trabalhando de pijamas em casa. Entretanto, há muita gente querendo trabalhar de pijamas por aí, de maneira que a coisa toda jamais poderia ser tão fácil quanto pintam alguns banners brilhantes da internet.

A fim de colocar os devidos pingos nos "is", resolvemos elencar alguns dos principais mitos que normalmente acompanham a ideia de trabalhar por conta própria em ambiente online. Confira abaixo.

1. É tudo um grande golpe?

Seguindo o espetro colocado no início deste texto, vale destacar que, sim, há possibilidades reais de fazer dinheiro na internet - digamos, possibilidades que não o façam acabar fotografado de frente e de perfil em uma delegacia.

goodfellas

Entretanto, também não faltam arapucas online prontas para capturar o primeiro desempregado sonhador incauto que passe pela frente. Isso normalmente se apresenta em livros de conteúdo mais do que duvidoso, cursos via webinar ou ainda os clássicos esquemas em pirâmide (afinal, alguém já conheceu qualquer um que tenha mesmo feito dinheiro com aquilo?).

Entretanto, cabe também evitar propostas um tanto mais sutis, as quais podem fazê-lo trabalhar por horas sem chegar a ganhar nem uma merreca que seja. Basicamente, evite pegar qualquer coisa antes de fazer dinheiro ou trabalhar gratuitamente para "provar suas habilidades", ou ainda encarar formas de pagamento não convencionais.

2. Qualquer um pode fazer fortuna na internet?

Aqui se vai à outra ponta do espectro - aquela que afirma que entre você e a sua fortuna há apenas alguns cliques certeiros. Só porque é possível que as pessoas façam dinheiro online, isso não quer dizer que você pode fazer dinheiro online.

Parece um belo balde de água fria, é verdade. Entretanto, ao fazer decantar a imagem de "terra virtual de oportunidades", é fácil perceber que, de fato, nem todo mundo consegue se consolidar profissionalmente em ambiente online. Em outras palavras, apesar dos discursos pontuados por termos como "sonhos" e "ambição", muitas pessoas simplesmente quebram a cara na internet, sem levar consigo nem mesmo um tostão.

tio patinhas

Basicamente, todos têm o potencial para fazê-lo, mas nem todos conseguem dar vazão a esse potencial. Fazer dinheiro online não é nem fácil e nem muito menos simples. Quer dizer, assim como em carreiras mais tradicionais, nada deve surgir sem uma boa dose de trabalho duro. Você precisa ter certo nível de teimosia para se orientar com sucesso.

Naturalmente, também é necessário possuir alguma habilidade digna de nota. Você não precisa realmente ser um expert, mas é preciso saber fazer algo pelo qual as pessoas queiram pagar. Quer dizer, seja você mais voltado para a escrita, para a fotografia ou para as vendas online, é preciso ter algo para oferecer em troca de pagamento. Quanto mais exclusivo (e ainda mercadologicamente válido), melhor.

3. O dia inteiro de ceroulas e comendo salgadinhos?

Outro engano bastante comum relacionado às carreiras online diz respeito a certa imagem de "bon vivant" atribuída a empreendedores dessa natureza. Quer dizer, alguém com uma carreira online bem-sucedida trabalharia apenas quando quisesse, trajando o que bem entendesse (essa parte até possa ser verdadeira) e seguindo apenas o próprio nariz. Ledo engano.

Embora seja verdade que as pessoas que fazem dinheiro online possuem certo grau de flexibilidade que não teriam em um típico emprego de escritório, essa flexibilidade traz consigo muita responsabilidade. Como um banho de realidade, leve em consideração o seguinte: quem trabalha por conta própria na internet normalmente trabalha muito mais horas do que um empregado convencional - e normalmente com rotinas tão ou mais estressantes.

freelancer

Afinal, diferentemente de alguém que recebe um contracheque, um freela típico normalmente possui renda inconstante (podendo faturar muito em um período e quase nada no mês seguinte) e também precisa gerenciar com mais atenção todas as entradas e saídas de dinheiro - e isso sem os benefícios usuais e ainda precisando fazer o próprio marketing.

4. A fortuna está logo ali?

Com exceção de alguns casos bastante raros, não, você provavelmente não vai ficar rico do dia para a noite como prometem alguns anúncios enxeridos. Apenas é possível tomar um atalho quando você tem cacife e reconhecimento suficientes para dar o embalo inicial no caminho que pretende seguir.

Seja a sua escolha a programação ou os textos de blogs internet afora, ainda haverá a necessidade de desenvolver e provar as próprias habilidades, angariando know-how e reputação durante o processo. E, sim, isso pode demorar bastante tempo. Você definitivamente pode ficar rico online, mas será preciso derramar sangue, suor e lágrimas.

5. Há apenas um único caminho das pedras?

Qualquer um que diga que você precisa fazer 'isto' ou 'aquilo' para fazer dinheiro online o está enganando. Afinal, ao menos em potencial, é possível fazer dinheiro com qualquer coisa - desde exista alguém disposto a pagar.

secret window

Entre as opções mais comuns, entretanto, encontram-se:

  • Textos para blogs
  • E-commerce
  • Desenvolvimento de aplicativos mobile
  • Fotografia
  • Transmissão de jogatinas de games
  • Transcrições
  • Tutoriais
  • Quadrinhos para internet
  • Web design
  • Escrita de livros

Alguns mandamentos do profissional online bem-sucedido

Mesmo ciente das questões descritas acima, você ainda precisará se precaver contra outro inimigo insidioso das carreiras online: a falta de profissionalismo. Conforme destacou o site LifeHack, há pelo menos quatro pontos que devem ser observados a fim de não fazer um bom potencial naufragar no descuido.

mandamentos
  • Tenha seriedade: mesmo que você possa trabalhar vestindo roupas de baixo, isso não significa que não se trata de um emprego "real". Caso não encare as coisas dessa forma, você provavelmente não será considerado como um candidato sério ao que quer que seja. Afinal, "há mais pessoas interessadas em trabalhar de roupas de baixo", a competição tende mesmo a ser mais ferrenha do que em vagas para empregos locais;
  • Seja profissional: ao submeter um currículo à apreciação de um contratante em potencial, vale o cuidado redobrado com gramática e recursos como "caixa alta". Lembre-se que você está construindo a sua imagem com parceiros de negócio em potencial;
  • Apresente-se com objetividade: tente focar no envio de portfólio. Contar toda a sua vida ou compartilhar poemas do período colegial pode deixar as pessoas um tanto perdidas. Convém dar uma ideia de "por onde começar", o que deve ter ligação com a natureza do trabalho pretendido; e
  • Confira, e confira novamente: convém tomar cuidado redobrado com todo o material que é remetido a uma empresa - seja o seu portfólio ou um texto de e-mail. Novamente, confira a gramática duas vezes e, se possível, garanta alguma segurança extra com corretores ortográficos. Além disso, em uma era de subversão com "caixa alta" e "caixa baixa", é bom atentar para a forma correta de escrever o nome de uma empresa ou site - sob o risco de, por exemplo, referir-se ao Canaltech como "Canal Tech".