10 habilidades importantes para quem quer trabalhar com Internet das Coisas

Por Redação | 12.09.2016 às 06:43
photo_camera Cripto ID

Apesar de não estar disponível massivamente e cotidianamente, a Internet das Coisas já é algo para ser visto com mais atenção, principalmente por empresas, já que o ramo pode fazer crescer uma grande quantidade de novos empregos e funções não só dentro das corporações como também em diferentes áreas da tecnologia. Apesar de ter conceitos não muito bem definidos, especialistas sugerem que para se dar bem num futuro próximo trabalhando com IoT (Internet of Things, sigla mais comumente utilizada) é preciso começar desde já a acrescentar habilidades no currículo.

Um dos campos que podem ser melhor observados na hora de melhorar o currículo é o de analytics, fortemente presente em projetos de TI, já que atualmente dados representam uma fatia importante na economia digital. Outra habilidade a se buscar é a criação de pontes entre tecnologias da informação e tecnologias de operações, esta última mais habituada a processos de manufatura, robótica, automação, engenharia de produtos, entre outros. "Os times de TI precisarão entender aspectos hoje restritos ao pessoal de OT", disse Chet Geschickter, analista do Gartner. Em outras palavras, os profissionais de OT estão encarregados de aspectos mais físicos, diferente de como ocorre com TI. Porém, esta relação de dualidade está para mudar com a chegada da IoT, que fará com que ambos os setores trabalhem em conjunto para produzir um melhor resultado.

De acordo com Geschickter, os profissionais de OT estão acostumados com uma gama maior de tecnologias providas por um único fabricante, mas sabem pouco como integrar o sistema a outras coisas.

O Gartner apontou que 29% das empresas já usam de alguma maneira a Internet das Coisas e 64% das companhias destacaram que fariam uso da tecnologia em algum momento.

Os postos de trabalho na área ainda não são em um número expressivo. Um estudo feito pela consultoria Burning Glass apontou que havia 800 mil vagas em TI nos EUA e apenas mil delas com posição para IoT. Tim Herbert, vice-presidente de pesquisa e inteligência de mercado da CompTIA disse que haverá uma grande expansão nas tarefas e responsabilidades atuais antes da criação de novas profissões e títulos. Segundo estudo feito pela Technalysis Research, 44% dos profissionais chamados para atuar com IoT estão em departamentos de tecnologia.

Dado o panorama de possibilidades envolvendo a Internet das Coisas, as empresas começam, também, a filtrar perfis de candidatos com certas habilidades para a área. "Temos visto companhias de TI ao redor do mundo se organizando para atuarem com ofertas dentro do conceito, mas muitas vezes não têm processos e talentos para tornar esses planos em realidade", disse Ryan Johnson, diretor do Upwork, um site de recrutamento. Com dados da plataforma, Johnson extraiu dez habilidades que possivelmente serão requisitadas de um profissional que quer trabalhar com IoT.

1 - Design de Circuito

Algumas aplicações que necessitam de baterias de longa duração demandam um tipo específico de desenho das placas de circuitos e o profissional deve estar preparado para integrar esse tipo de componente eletrônico a um novo sistema.

2 - Programação de microcontroladores

Os microcontroladores são úteis na hora de adicionar inteligência a algum dispositivo e colaborar com o processamento. Com a Internet das Coisas, esses microcontroladores serão sempre abundantes e a habilidade para lidar com eles - e suas diferentes linguagens - também está na lista de atributos a serem buscados.

3- Big Data

A análise de dados é parte importantíssima no presente e no futuro da tecnologia e com a Internet das Coisas o montante de dados gerado só tende a crescer. Algumas organizações já contratam cientistas de dados e engenheiros para coletar, analisar e organizar as informações vindas de diversas fontes. Hadoop e Apache Spark são muito importantes.

4 - Engenharia Elétrica

Um exemplo de que TI e OT devem trabalhar em conjunto. Engenheiros eletricistas trabalharão no desenvolvimento de dispositivos com aplicações móveis ou na criação de sistemas de rádio frequência/micro-ondas em sistemas de comunicação.

5 - Arquitetura de Segurança

Privacidade e vazamento de informações são, hoje, fatores de intensa preocupação. Buscando diminuir e eliminar os riscos de exposição de dados, as empresas procuram profissionais que estejam aptos a desenvolver soluções de segurança que possam ser incluídos no sistema.

6 - AutoCAD

O software de design de projetos de engenharia já é bastante requisitado por grandes empresas e será ainda mais em se tratando de IoT. O desenvolvimento de produtos inteligentes e conectados requer muitos ajustes, padronizações e alteração de formatos. Tudo isto de forma rápida e eficiente.

7 - Segurança de Infraestrutura

Com a Internet das Coisas, pessoas que estiverem habilitadas a compreender de forma sistêmica aspectos relativos a segurança de infraestrutura terão grande espaço no mercado.

8 - Machine Learning

"Ensinar as máquinas" é uma habilidade importante no novo cenário de IoT. Os algoritmos de aprendizado das máquinas servem para desenvolver produtos melhores e mais inteligentes. Se sairá melhor quem souber juntas inteligência e análise de dados.

9 - GPS

Com Internet das Coisas, a geolocalização terá um papel mais amplo em diferentes setores da sociedade e em grande parte dos produtos criados com a tecnologia, principalmente na área de wearables, veículos inteligentes e logística.

10 - Node.js

Desenvolvedores que estiverem a fim de abraçar a tarefa de construir aplicações em IoT terão, também, um diferencial nos novos postos de trabalho que surgirão ao longo do tempo.

Fonte: CIO