Campus Party | Como um evento presencial virou 100% digital em 3 dias

Por Camila Rinaldi | 09 de Julho de 2020 às 07h00

Edward Snowden, Wingee Sampaio, Tim Berners-Lee e Al Gore são alguns dos nomes que você pode esperar ver nos painéis da Campus Party deste ano. São 3 mil palestrantes, com eventos que acontecem em 31 países e tudo isso em três dias. São definitivamente 72 horas de diversão garantidas para nerds! Mas em um momento em que o mundo é assolado por uma pandemia, como foi possível transformar um evento pensado quase todo para o público presencial em algo 100% digital?

Para responder a essa pergunta, conversei com Francesco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party. Da sua casa na Bahia, sem rodeios ele respondeu:

Foi muito mais simples do que você pode imaginar.

Francesco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party (Divulgação: Instituto Campus Party)

Sim, a Campus Party é um evento gigante, já foram mais de 80 edições, em 15 países, com direito a citação no Guinness World Record como a maior hackathon social já realizada. Logo, não estamos lidando com amadores. Não é de hoje que a Campus Party é um evento digital, pois a estrutura de streaming sempre esteve presente no evento. O que realmente mudou agora é que não teremos o calor humano espalhado pelos pavilhões da feira. O encontro agora é apenas virtual.

Nós já fazíamos uma Campus Party digital há dez anos, fazíamos o streaming das palestras que aconteciam. Por mais que a Campus Party fosse em algum lugar físico, nós oferecíamos as palestras para as pessoas assistirem sem estar presentes no evento.

Para além do domínio da tecnologia de transmissão ao vivo, campuseiros e campuseiras são nativos digitais. Em outras palavras, nunca foi necessário explicar como utilizar as ferramentas de streaming, pois estas fazem parte do cotidiano das pessoas que frequentam o evento. Logo, trazer o evento apenas para o virtual não foi mesmo um problema, mas a solução:

A nossa sede operativa está em Milão, que foi a cidade mais golpeada pelo novo coronavírus. No fim de janeiro já sabíamos a gravidade da doença. Outra coisa que tivemos muito clara desde o primeiro dia é que até que se encontre uma vacina ou um tratamento de cura, não daria para fazer um evento presencial tranquilamente. Como organizadores, não podemos dizer ‘se o governo autorizar, fazemos’ porque somos responsáveis por todas as consequências. Sabíamos que não podíamos colocar a garotada em risco.

Farruggia afirmou que, assim que a decisão de ter uma Campus Party 100% digital foi tomada, em apenas três dias o evento estava montado. O maior desafio foi montar uma plataforma de streaming de qualidade e que fosse segura não apenas para quem estivesse assistindo, mas principalmente para os palestrantes:

Quando você vai entrevistar Edward Snowden, é muito provável que você receba pessoas preparadas para fazerem ataques. A primeira coisa que fizemos foi contatar os parceiros, os patrocinadores e tudo mais para ver se eles topavam fazer uma Campus Party virtual, mundial e contemporânea. A outra coisa era a questão econômica, se iríamos cobrar ou não para fazer a Campus Party. Em trinta segundos os três sócios decidiram que tinha que ser gratuito.

Como é possível perceber, quando as prioridades estão bem traçadas, as decisões são fáceis de se fazer. Mas como se paga um evento deste porte?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que nenhum dos 3 mil palestrantes está cobrando para participar da edição 2020 da Campus Party. Além disso, apesar da participação ser livre de custos, todas as pessoas que se inscreverem para assistir aos painéis são convidadas a fazer uma doação para o Fundo de Crise Coronavírus de Médicos Sem Fronteiras. A organização está na linha de frente contra o novo coronavírus em mais de 70 países.

Se perde o acampamento, mas se ganha o mundo... (Foto: Canaltech)
Se perde o acampamento, mas se ganha o mundo (Foto: Canaltech)

Dito isso, ainda existe uma plataforma de vídeos sob demanda para se pagar, toda uma infraestrutura para manter a qualidade das transmissões e a segurança dos palestrantes, bem como um punhado de profissionais operando tais plataformas, certo? Bom, foi aí que entraram os patrocinadores.

Segundo Farruggia, buscar patrocínio para um evento em tempos de pandemia também não foi difícil. Um dos motivos é o próprio cenário em que nos encontramos, no qual estamos em contínuo contato com as perdas diárias de pessoas para a COVID-19. Assim, mudar a agenda a partir de uma perspectiva melhor para o futuro através do debate de ideias foi amplamente abraçada por instituições públicas e privadas:

Fazer uma Campus Party reunindo todas essas personalidades mundiais e toda a juventude para dizer que existe uma esperança, que podemos “reboot the world”, fez com que os patrocinadores aderissem felizes.

Para os que não sabem, “Reboot the World” é o tema da Campus Party 2020 que, em português, significa “Reiniciar o Mundo”. É claro que essa não é uma ação tão simples de se fazer quanto reinicializar nossas máquinas e esperar que os bugs sejam corrigidos. Contudo, o debate de ideias pode fazer com que menos erros aconteçam.

É fato que em 2020 a Campus Party abre mão de pequenos prazeres, como o tradicional acampamento, porém, se transforma em um evento muito mais relevante, global e colaborativo.

O que esperar da Campus Party Digital Edition

São 31 edições simultâneas em todo o mundo, em uma Campus Party 100% online, que conta com 150 palcos virtuais ao vivo e mais de 3.000 palestrantes de 120 nacionalidades por meio do YouTube.

O festival será realizado nos dias 9, 10 e 11 de julho, e conta com cinco palcos virtuais:

  • Work Life: Emprego e economia;
  • Green Deal: Energia Limpa e Meio Ambiente;
  • Living Better: Saúde e Ciência;
  • Joy of Life: Entretenimento digital;
  • New Horizons: Educação, Cidades inteligentes e GovTech.

Nas três edições brasileiras do evento – Brasília, Goias e Amazônia - ainda teremos mais dois palcos temáticos:

  • Arena Podcast: Tudo sobre o universo dos Podcasts;
  • Include: Educação e terceiro setor.

A equipe do Canaltech vai fazer a cobertura dos principais painéis da Campus Party Digital Edition e trazer os destaques de cada um dos três dias de evento. Fique ligado!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.