'Videogames ensinam muito melhor que outros métodos', afirma criador da Atari

Por Caio Carvalho | 01 de Fevereiro de 2013 às 15h58
photo_camera Leonardo Pavini

Em palestra no palco principal da Campus Party, o fundador da Atari, Nolan Bushnell, disse que nosso método de estudo e aprendizagem será dez vezes mais rápido em apenas cinco anos, e que os jogos eletrônicos serão os grandes responsáveis por isso.

Considerado o pai dos videogames, Bushnell acredita que jogos de todos os tipos ensinam de uma maneira muito mais rápida e fácil que as atuais formas de ensino nas escolas. "Uma aula de espanhol nos Estados Unidos, por exemplo, já pode ser ministrada apenas com o uso de um software, dispensando o professor. Em cinco anos, vamos aprender dez vezes mais rápido do que qualquer mídia já inventada", explicou.

Parte dessa evolução se dará graças ao Xaporia Studios, um projeto que mistura faculdade de games com estúdio de games, que vai permitir aos alunos trabalhar diretamente com grandes designers e professores da América Latina. A universidade tem previsão de chegar ao Brasil em até dois anos e, segundo Bushnell, terá apoio de desenvolvedores e também do governo.

Steve Jobs

Muita gente não sabe, mas Nolan Bushnell foi um dos primeiros chefes de Steve Jobs. O criador da Atari se referiu ao ex-CEO da Apple com respeito ao contar como ambos começaram suas trajetórias no mundo da tecnologia. "Eu era muito amigo de Steve Jobs. Ele me ofereceu um terço da Apple Computer por 50 mil dólares, mas recusei porque, na minha opinião, até um maníaco tinha ideias melhores do que aceitar aquela oferta", afirmou.

Bushnell ainda citou sua relação com Steve Wozniak. "Veja bem. Woz não era funcionário da Atari, mas era muito amigo de Jobs. Ou seja, eu tinha dois trabalhadores pelo preço de um, e nos divertimos muito. A Apple recebeu bastante suporte da Atari na década de 1960".

Jobs será tema de um livro escrito por Bushnell, chamado "Finding The Next Steve Jobs" ("Encontre o Próximo Steve Jobs"), no qual dá dicas para empreendedores reconhecerem o talento dos profissionais na hora de contratá-los. "Quando começamos a pensar no que fazer da nossa vida, a primeira coisa que aprendemos é que nunca vamos crescer, pois a morte do crescimento é o nascimento da criatividade. Otimismo e criatividade vão dirigir o futuro. Eu disse uma vez para Jobs que se ele tivesse uma ideia e 99% das pessoas dissessem que ela é maluca, e apenas 1% dissesse que vale a pena (sendo este 1% você mesmo), então continue com sua ideia até o fim. Sucesso nada mais é do que a habilidade que move você de uma queda para outra sem perder o entusiamo", declarou.

Atari e o futuro dos games

O fim da Atari também foi tema de discussão durante a palestra de Nolan Bushnell na Campus Party. O empresário contou um pouco sobre a história da companhia, que começou em 1970 com o primeiro videogame que desenvolveu, o Computer Space. Em 1972, a Atari foi oficialmente criada juntamente com o Pong, um dos arcades de maior sucesso até hoje e que ganhou uma versão para tablets e smartphones recentemente.

Em 1977 veio o Atari 2600, um grande sucesso de vendas no mundo todo e uma das maiores surpresas para Bushnell. "Criamos o 2600 porque tínhamos esperança de que seriam lançados até 26 jogos para o console, mas chegamos a 350 quatro anos depois e pouco mais de 500 títulos no final de sua produção", disse.

Agora, com pouco mais de 40 anos de vida, a Atari enfrenta uma situação delicada após solicitar um pedido de falência nos Estados Unidos. "Nos últimos 10 anos, a Atari foi uma bagunça e gastaram muito dinheiro. A Atari pode ter acabado, mas acho que ela vai se reeguer sozinha novamente, sem ajuda de sua parceira francesa. E quem sabe eu faça parte dessa reestruturação?".

Apesar de acompanhar o fim de sua companhia mais famosa, Bushnell se mostrou bastante otimista com relação ao futuro dos videogames. Para ele, a realidade aumentada será o próximo passo para empresas que trabalham na área e que já estão desenvolvendo seus protótipos, como o Google Glass (do Google) e o Oculus (da Rift). O fundador da Atari também citou o Virsix, um projeto que coloca o jogador em sete quatros conectados, cada um com uma parte diferente da história do jogo.

Quanto aos consoles da próxima geração, Bushnell acha que aparelhos físicos se tornarão cada vez menos necessários. "Adoro o PlayStation 3 e o Xbox 360, e acho que ambos são ótimas máquinas. Mas não acho que eles sejam necessários na próxima geração. Os dois aparelhos terão gráficos incríveis, mas com mais detalhes, peças maiores e com maior poder de processamento são exigidas. Isso torna o tamanho do equipamento algo bem incômodo. Vi algumas coisas em laboratórios que são realmente boas e que devem chegar ao mercado nos próximos anos. Eu só quero viver em um futuro onde tudo será mais rápido", conclui.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.