De olho no retrovisor, a Kodak Alaris aposta no futuro mobile da empresa

Por Rafael Romer | 07 de Julho de 2016 às 09h03

Fundada em 2013, a Kodak Alaris é a atual herdeira de grande parte do negócio pelo qual a antiga Kodak já foi conhecida. A empresa surgiu como uma espécie de spin-off da Eastman Kodak Company, criada após a venda da divisão de produtos e imagens da companhia original para o fundo de pensão Kodak Pension Plan (KPP), baseado no Reino Unido.

Na prática, isso tornou a Kodak Alaris responsável pelas três divisões rentáveis da Kodak antes da falência, atuando nos setores de produtos para consumidores finais (IC), insumos para fotografia (IPPF) e de gerenciamento de informações e digitalização de documentos, com um negócio total avaliado em cerca de US$ 1 bilhão.

Apesar de carregar um nome de peso, a empresa tem buscado novos modelos e possibilidades de negócios nos últimos dois anos, tentando equilibrar o know-how em fotografia que trouxe da antiga companhia com um novo ar de startup.

E o resultado disso é que, como grande parte da indústria de tecnologia, a Kodak Alaris agora tenta alavancar sua presença no setor da mobilidade, mas, na contramão de serviços "efêmeros" e populares como o Snapchat, a empresa quer olhar para trás e resgatar os "momentos memoráveis" através de fotos. Ou seja: ao invés de fotos que desaparecem depois de algum tempo ou se perdem em um mar de conteúdo online, a Kodak acredita que as pessoas ainda querem ter suas fotos reveladas.

"Os consumidores querem imprimir suas fotos, mas precisavam de uma forma simples de fazê-lo", defendeu a diretora de inovação da Kodak Alaris para as Américas, Karen Brose, durante o lançamento oficial das novas funções do serviço Kodak Moments nesta quarta-feira (06), em São Paulo.

Lançado em março deste ano, o Kodak Moments é um dos maiores exemplos desse posicionamento da empresa. O próprio nome do app, aliás, já é um aceno da empresa a herança da Kodak, copiando o famoso slogam "Momento Kodak", marcado na memória afetiva de alguns consumidores.

O aplicativo para dispositivos móveis permite que usuários tirem e editem suas fotos no smartphone para depois enviá-las para impressão, via app, em lojas de fotografia próximas ou quiosques da marca, fazendo o pagamento antecipado também através da aplicação.

Através do app, usuários podem escolher enviar imagens para impressão para depois retirá-las diretamente em lojas credenciadas ou recebê-las em casa; também é possível criar e encomendar produtos a partir das imagens, fazendo a impressão em canecas, imãs de geladeira ou capas de celular; ou ainda interagir com um dos 4 mil quiosques da Kodak espalhados pelo país, que se conectam com o app via Wi-Fi para impressão presencial das imagens - destes quiosques, cerca de 400 são conectados também à internet, o que permite o recebimento das imagens via web para impressão remota.

A partir deste mês, o aplicativo deverá receber uma nova função de rede social por aqui, que criará um feed interno para que usuários possam postar seus próprios "momentos", combinando imagens e texto, para serem compartilhados com amigos - tudo sem intromissão de conteúdo publicitário. Assim como em outras redes, as postagens poderão ser comentadas e curtidas, além de poderem ser transformadas em produtos pelos usuários, como cartões postais.

A expectativa da Kodak Alaris é que o Kodak Moments ocupe agora o espaço pouco explorado no mercado latino-americano para a impressão de fotos, associando o peso da marca Kodak ao serviço para ajudar a alavancar o mercado.

"O produto traz a confiança que as pessoas têm na Kodak. Quando você fala que a empresa está por trás disso, o consumidor vê a qualidade e segurança do processo", comentou o diretor de marketing para América Latina, Guilhermo Ordoñez. "O mercado norte-americano é muito grande, mas o principal potencial de crescimento está nos mercados emergentes". A empresa não abre os números locais sobre revelações de fotos ou sobre a quantidade de usuários que já estão na plataforma, mas afirma que imprime cerca de 2,4 bilhões de imagens por ano, globalmente.

Crescer junto ao mercado consumidor é um fator importante para a Kodak Alaris, que tem enfrentado dificuldades em outras áreas de seu negócio - como na vertical de insumos para impressão fotográfica, que vê uma queda mundial na demanda por esse tipo de produtos. Em abril, a empresa anunciou o fechamento de uma de suas fábricas de negativos em Harrow, no Reino Unido, cortando 250 funcionários e transferindo a produção para outra planta, nos Estados Unidos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.