Cientistas estão criando câmera gigante para capturar imagens do universo

Por Redação | 04 de Setembro de 2015 às 08h32
photo_camera Foto: Reprodução/SLAC

O Departamento de Energia dos Estados Unidos, o DOE, acaba de anunciar a aprovação do desenvolvimento de uma câmera digital que pode oferecer aos cientistas uma visão mais privilegiada do universo.

A câmera terá 3,2 gigapixels e deverá coletar milhões de gigabytes de dados para ajudar pesquisadores a compreender o universo de uma maneira melhor. O dispositivo vai funcionar como se fosse os olhos do telescópio gigante Large Synoptic Survey Telescope, localizado no Chile. A partir de 2022, ele começará a fazer capturas do céu no período da noite.

O Departamento de Energia do Centro de Aceleração Linear de Stanford (SLAC) diz que, por aproximadamente uma década, o telescópio terá a função de detectar mais galáxias do que o número de pessoas na Terra, observando dezenas de bilhões de objetos.

A construção da câmera está sendo bancada pelo DOE, enquanto o National Science Foundation se responsabiliza pelo telescópio, as instalações do local e o sistema do banco de dados.

Câmera gigante

O SLAC garante que dispositivo será a maior e mais poderosa câmera digital existente, pesando cerca de três toneladas e com o tamanho de um carro pequeno.

A câmera vai capturar imagens tão grandes que serão necessárias 1.500 televisões de alta definição para a visualização. Cada imagem tirada vai registrar uma seção do céu que mede quase 40 vezes o tamanho da Lua.

Com as imagens coletadas pela câmera, pesquisas que abordam temas referentes à formação da galáxia serão beneficiadas, como a visualização de estrelas e a compreensão da matéria e energia escura que compromete uma grande parte do universo.

O SLAC, que fica localizado em Menlo Park, na Califórnia, vai construir e testar a câmera em um processo que deve durar cinco anos. Os componentes do aparelho gigante serão desenvolvidos com a ajuda de várias universidades e laboratórios.

O projeto já está em andamento com a construção de sensores da câmera e com contratos fechados para a criação das partes óticas.

Fonte: SLAC

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.