BI Móvel – a estratégia na palma da mão

Por Colaborador externo | 18 de Maio de 2015 às 14h50

Por Manoel Menezes*

Não é segredo para ninguém que a mobilidade, iniciada com a telefonia e chegando hoje à internet e aplicações, já mudou o modo como vivemos e, principalmente, o modo como fazemos negócios. O celular é uma ferramenta indispensável a qualquer profissional, neste contexto, muitas empresas já trabalham com a proposta de que os resultados estão lá fora e é para lá que os decisores devem ir.

Na atual dinâmica de negócios, não se concebe gerir uma empresa sem visitar clientes. É isso que trará proximidade, parceria, entendimento e conhecimento profundo sobre suas necessidades. Do mesmo modo, se o profissional está no cliente, as informações críticas e estratégicas sobre aquela conta devem acompanha-lo, e é aí que o BI Móvel ganha importância.

Por exemplo, se o diretor de uma empresa encontra um cliente importante no aeroporto e este cliente faz uma proposta de negócio. Como ele pode tomar a decisão? Sem o uso de uma ferramenta robusta de BI, que tenha mobilidade, esta decisão será adiada, ou tomada usando a intuição e fragmentos de dados guardados na memória, ou ainda ligando para alguém na empresa e solicitando os dados necessários.

Por outro lado, com uma solução em mãos, em questão de instantes esse executivo terá todas as informações que precisar. Óbvio que estamos falando de informações que foram previamente desenhadas e disponibilizadas em um processo de design de gestão.

O fato é que o BI e a mobilidade estão transformando a forma de explorar as informações de sistemas de gestão. Antigamente elas eram arquivadas em fichas, depois em computadores onde os relatórios precisavam ser impressos. O passo seguinte foi a consulta às telas de computador em nossas mesas.

Ganhamos alguma mobilidade com os notebooks e as cópias das informações feitas com alguma defasagem. Hoje, com o BI Móvel, a informação é a do último momento, acessada como se estivéssemos dentro da empresa. É possível verificar a produção em tempo real, assim como o estoque, cargas enviadas para entrega, pedidos colocados e por quais vendedores, metas atingidas etc.

Com tudo isso, as empresas ganham agilidade na tomada de decisão, o que significa aproveitar melhor as oportunidades e contar sempre com informações confiáveis, acuradas e atualizadas, seja na empresa ou de madrugada, na sala de embarque de um aeroporto.

* Manoel Menezes é Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Sankhya Gestão de Negócios

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.