Conheça 4 mitos sobre o Business Intelligence antes de adquirir esta solução

Por Diego Elias | 18.04.2014 às 08:00
photo_camera everything possible

Foto:everything possible/Shutterstock

Muito se discute sobre o Business Intelligence (BI) e seu papel dentro das organizações. São comentários e debates sobre as potencialidades da solução, formas de implementação, custos e outros assuntos relacionados a essa solução de suporte a decisão.

Mas nem tudo que se fala sobre o conceito é verdade. Devemos ficar atentos para não sermos ludibriados e acabarmos levando “gato por lebre”. Então vamos esclarecer as coisas sobre o BI:

  • Não é um programa ou ferramenta específica: muitas pessoas acham que BI é um programa de computador ou uma ferramenta. Não é programa, pois se trata de um processo complexo com várias etapas e componentes, não podendo assim ser resumido como apenas uma ferramenta. Vale lembrar que o BI é um conceito muito mais abrangente do que simplesmente analisar informações;
  • Não é um sistema pronto: o BI não é um sistema pronto, pois não pode ser preconcebido sem antes conhecer as necessidades da empresa. Ou seja, se trata de um sistema que se compatibiliza às especificidades de cada organização e que se molda para atendê-la da melhor forma possível e não o contrário;
  • Não é apenas uma tecnologia: o BI não é composto por apenas uma tecnologia, mas sim por um conjunto delas. Como exemplo podemos ter o Data Mining (Mineração de Dados), Data Warehouse e OLAP na composição de um sistema de BI;
  • Não é planilha Excel: e aqui vai o que talvez seja o maior mito que é visto por aí. Planilha Excel não é BI. Isso porque o Excel não se encaixa nas diretrizes básicas que um sistema BI requer, tanto na questão de velocidade, como também capacidade de armazenamento, não volatilidade e precisão dos dados. As planilhas Excel não têm recursos para a entrega rápida das respostas, dependendo, assim, apenas do recurso computacional da própria máquina. Diferentemente das soluções de BI, que além de terem arquitetura apropriada para performance, normalmente são armazenadas em servidores de grande capacidade e desempenho. O Excel também é limitado a quantidade de registros e os dados podem ser alterados. Além disso, é comum que não haja padronização nos dados da planilha, dificultando ainda mais a precisão das informações. Definitivamente, nos dias atuais, gerenciar através de planilhas é algo arcaico. O mundo hoje exige mobilidade, velocidade e dinamismo.

É importante as empresas ficarem atentas ao que o mercado lhes oferece, pois nem toda solução se ajusta às suas realidades. É necessário um estudo muito mais aprofundado das atuais necessidades informacionais, para que então a solução seja moldada com o foco nos objetivos empresariais, e não o contrário, onde organizações precisam se adequar aos processos rígidos e definidos pelos vários sistemas existentes.

Devemos ter o cuidado, pois o que não falta no mercado é oferta de ferramentas milagrosas, que, se mal adquiridas, podem fornecer uma enorme dor de cabeça às empresas. Muitas dessas ferramentas custam muito caro e não conseguem se adaptar a empresa ou não agregam valor aos processos. Deve haver sempre um planejamento rigoroso nesses tipos de aquisições, com toda a cautela necessária para mitigar as chances de falhas. Dessa forma, com o devido procedimento na contratação da solução, o risco de fracasso é praticamente inexistente.