Business Intelligence avança para a nuvem, mas com algumas ressalvas

Por Redação | 14 de Agosto de 2013 às 14h05

No mês passado, a Microsoft levou seu conjunto de ferramentas de Business Intelligence (BI) para o badalado mundo da computação na nuvem, com o anúncio de uma solução chamada "Power BI para Office 365". Ela permite que o Excel acesse dados na nuvem a partir de qualquer tipo de dispositivo.

Mas esse é apenas o exemplo mais recente de uma série de ofertas de Business Intelligence baseadas na nuvem que estão chegando ao mercado, conforme destaca Joe McKendrick, da Forbes. Outros fornecedores de BI, como Tableau, SAP e Roambi também estão voltando para a nuvem para tentar expandir suas soluções. "Acrescente a isso um número cada vez maior de startups, como a GoodData, BIME e Birst, cujo modelo de distribuição principal é a nuvem", observou recentemente Fredrik Tunvall, analista da Ovum.

Existe uma clara vantagem das ofertas de BI baseadas na nuvem: escalabilidade. Elas oferecem a capacidade de expandir rapidamente para um grande número de usuários e ter acesso a uma análise dentro de poucos minutos, ao invés de esperar semanas para os departamentos de TI ou os usuários mais avançados criarem relatórios.

No entanto, existe o outro lado da moeda. O fato de a capacidade de análise ser suportada pela nuvem não significa que seja mais fácil integrar tais ferramentas com fontes de dados vastas e diferentes. "A realidade é que a maioria das aplicações de BI utilizadas hoje precisa de personalização e depende de dados de múltiplas fontes operacionais, o que nunca é fácil ou rápido de configurar", diz Tunvall.

Tom Davenport, o guru do Business Analytics, aponta que o movimento do BI para a nuvem ainda está apenas nos estágios iniciais. Joe McKendrick, da Forbes, destaca uma conversa que teve recentemente com Davenport, onde ele disse que "existem versões baseadas na nuvem na maioria das ofertas visuais de análise, mas elas ainda não são tão sofisticadas quanto as soluções locais".

Apesar de ainda estar engatinhando, pelo menos 36% das empresas já estão adotando parcialmente soluções de BI baseadas na nuvem – isso antes dos anúncios dos grandes fornecedores de BI mencionados no início deste texto.

Cindi Howson, fundadora do BI Scorecard, um site independente de pesquisa de inteligência de negócios e análises de produtos, citou alguns pontos importantes que devem ser considerados para impulsionar os serviços de BI baseados na nuvem:

  • Reconhecer Business Intelligence na nuvem como um complemento da aplicação local
  • Entender os custos de licenciamento e os custos de propriedade
  • Avaliar as ferramentas de BI com base na criação de valor para o negócio
  • Avaliar como a solução de BI na nuvem pode atenuar os gargalos organizacionais
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.