Spotify estreia na Bolsa com quase US$ 24 bilhões em valor de mercado

Por Felipe Demartini | 03 de Abril de 2018 às 13h09
Reprodução/Bloomberg
Tudo sobre

Spotify

O grande dia para o Spotify finalmente chegou. Nesta terça-feira (3), a empresa de streaming musical finalmente inicia sua oferta pública de ações na Bolsa de Valores de Nova York, usando o pseudônimo SPOT e com a possibilidade de ver seu valor de mercado chegando a US$ 24 bilhões logo de começo, caso o valor de referência fixado pela instituição se mantenha.

É um total que está alinhado às expectativas do mercado, que estimava um valor entre os US$ 22 bilhões e US$ 25 bilhões para a companhia. Durante negociações informais realizadas nesta segunda-feira (2), em antecipação à abertura, o valor das ações se manteve relativamente estável, com poucas flutuações, um bom sinal para esta que é a maior abertura de capital de uma empresa tecnologia desde o Snapchat, que começou a vender suas ações há pouco mais de um ano.

Em carta aberta a usuários, funcionários, acionistas e possíveis investidores, o CEO Daniel Ek comemorou a abertura, mas pediu cautela a todo o mercado. Segundo ele, os movimentos iniciais – que acontecem em um momento relativamente complicado, após um dia de baixas em Wall Street – não representa o estado geral do Spotify, uma vez que a empresa está fazendo uma aposta no longo prazo, e não em ganhos imediatos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por isso mesmo o pedido de calma, uma vez que certa volatilidade pode ser esperada. Principalmente quando se fala em uma empresa de tecnologia, o caminho a ser seguido costuma ser tumultuado, assim como foi a estratégia do próprio Spotify antes mesmo de abrir suas ações. “Nada acontece em linha reta”, afirmou Ek no texto, demonstrando cautela, mas, ao mesmo tempo, confiança no que está por vir.

Abertura de capital do Spotify é a maior de uma empresa de tecnologia desde o Snapchat, em 2017 (Foto: Divulgação/Spotify)

Essa solidez declarada é baseada em números. O Spotify conta hoje com mais de 71 milhões de assinantes e vem apresentando crescimento acelerado neste quesito, com a expectativa de fechar 96 milhões de usuários pagantes no final de 2018. A expansão internacional e o foco em parcerias com artistas e gravadoras – no que toca, principalmente, a resolução dos conflitos quanto ao pagamento de royalties – auxiliam a alavancar esse movimento.

Foi justamente esse fator, inclusive, que levou a um novo patamar de perdas para o serviço. No mesmo ano em que anunciou faturamento recorde, na casa dos US$ 4,9 bilhões, o Spotify também sobrou suas perdas, com pouco menos de US$ 1,5 bilhão negativo em 2017. Esse é um dos motivos que levou a companhia a realizar uma listagem direta, em vez de um IPO tradicional, de forma a evitar diluições na carteira de investidores que estão com a startup desde seus dias iniciais.

Em vez disso, a ideia é que acionistas atuais vendam suas ações para o público, aumento a participação externa na companhia. É uma medida que, também, reduz os custos da abertura de capital, mas, ao mesmo tempo, não conta com as mesmas salvaguardas de um movimento tradicional o que, mais uma vez, explica os pedidos do CEO do serviço por calma e o vislumbre de turbulências no futuro próximo.

Para analistas, porém, não há como fugir da tendência tradicional de toda abertura de capital – é o resultado do primeiro dia que faz com que as coisas se movimentem, para o bem o para o mal. Comparações com a Netflix, que também é líder no mercado de streaming, mas em outro setor, o de vídeo, estariam fazendo muito bem nesse momento, mas ainda assim, o mercado observa com olhos atentos o que vai acontecer nesta terça-feira.

O momento ainda é de incerteza, principalmente, devido ao turbilhão do mercado de ações de tecnologia nas últimas semanas. As críticas do presidente americano Donald Trump à Amazon e novas tarifas relacionadas ao aço e alumínio para produtos importados da China derrubaram o setor, levando ações não apenas do e-commerce e também da montadora de veículos Tesla a um patamar de negatividade, mas também os papeis de outras companhias como Facebook, Twitter e Google.

A abertura de ações do Spotify é vista com empolgação até mesmo por representantes da Bolsa de Nova Iorque, que não esconderam a expectativa em publicações de redes sociais ao longo desta semana. No momento em que essa reportagem é escrita, o mercado aguarda o início das negociações. É hora de deixar as análises de lado, então, e partir para a prática.

Fonte: Spotify, The Guardian, NYSE (Facebook)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.