Snapchat estaria considerando abrir capital na Bolsa em breve

Por Redação | 08 de Setembro de 2016 às 10h58

Segundo pessoas próximas, o Snapchat estaria conversando com banqueiros para iniciar uma Oferta Pública Inicial (IPO) no final deste ano ou no início de 2017. Isso faria com que a empresa saísse na frente de outras startups de tecnologia do setor privado. A companhia parece que ainda não contratou um banqueiro para gerir o processo de abertura de capital, sugerindo que não há um cronograma definido sobre a questão.

"Se e quando formos a público dependerá de uma variedade de fatores, muitos dos quais estão além do nosso controle", disse um porta-voz do Snapchat. O CEO da empresa, Evan Spiegel, demonstrou interesse em abrir capital da empresa já no ano passado. "Nós precisamos de IPO. Temos um plano para fazer isso", disse. Spiegel, que tem o hábito de contrariar as práticas tradicionais das empresas no Vale do Silício, afirmou a investidores que não tem interesse em comprar a ideia de que é melhor ficar privado por mais tempo.

A última avaliação referente ao valor de mercado do Snapchat sugere que a empresa chegou aos US$ 16 bilhões. Um dos principais empecilhos para a Oferta Pública Inicial é a recente geração de receitas da plataforma. O Snapchat só começou a vender publicidade no meio do ano passado. De acordo com pessoas próximas, a expectativa é que a companhia alcance US$ 300 milhões em receita em 2016. A maior parte dessa quantia vem de anúncios em vídeos, que aparecem entre os snaps, e também de canais patrocinados de empresas de mídia. O Snapchat também oferece filtros patrocinados para serem utilizados pelos usuários.

Para o próximo ano, a startup projeta US$ 1 bilhão em receitas. Isso porque os investidores acreditam que ela pode se beneficiar do interesse de anunciantes em diversificar as mídias de divulgação. Atualmente, o aplicativo está registrando cerca de 10 bilhões de visualizações por dia, algo bastante relevante para vender anúncios. Com isso, a empresa espera ser bem-sucedida ao abrir seu capital. Para comparação, o Facebook registrou US$ 3,7 bilhões em receitas em 2011 antes de sua oferta pública. O Twitter registrava cerca de US$ 254 milhões em receitas em 2013.

Apesar da boa expectativa em torno do IPO, o Snapchat deve enfrentar uma concorrência cada vez maior do Instagram, Facebook e YouTube. Para superá-los, o aplicativo está adicionando recursos e expandindo sua base de usuários internacionalmente, abrindo escritórios no Reino Unido, França e Austrália. Recentemente, executivos do Snapchat demonstraram interesse em realidade virtual e na aquisição de startups do setor. Desde que iniciou suas operações, a empresa já acumula mais de US$ 2,5 bilhões em financiamentos, o que mostra que os investidores confiam em seu modelo de negócios.

Via The Information

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.