dfndr lab identifica 234 páginas comerciais usadas para roubo de cartões

Por Rafael Arbulu | 22 de Novembro de 2018 às 10h13

Todo ano a Black Friday atrai gente maliciosa que busca roubar dados e informações sensíveis de pessoas que procuram comprar produtos com o maior desconto possível. Em 2018 não poderia ser diferente e o dfndr lab, da PSafe, identificou 234 páginas do Facebook com conteúdos falsos de compra usadas para direcionar o usuário a páginas de roubo de dados pessoais e cartões de crédito. Destas, 96 páginas foram criadas recentemente apenas com o intuito de se aproveitar da Black Friday.

Segundo o laboratório, essas páginas copiaram fielmente o design e aspectos visuais de recursos de páginas comerciais do Facebook, como o botão “Compre Agora”. Ao clicar nele, o usuário segue todo um processo falsificado de compra, sem saber que, na verdade, foi redirecionado a uma página que armazenará as informações de compra fornecidas por ele. Ao final, há até um número falso de pedido, dando ao golpe mais autenticidade. Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, explica que a ocasião da Black Friday torna mais propícia a entrada de cibercrimes de cunho econômico, como roubo de cartões de crédito.

Black Friday: cuidado com promoções boas demais e mantenha os softwares de proteção online atualizados para se proteger de golpistas

“A Black Friday já se consolidou como uma das datas mais importantes para o varejo e para os consumidores e, por isso, é sempre uma grande oportunidade para cibercriminosos atuarem. Temos visto que, ao longo do tempo, eles têm aprimorado suas estratégias para enganar as pessoas, criando novos formatos e cópias cada vez mais fiéis das plataformas originais das marcas. Portanto, é essencial redobrar a atenção e o cuidado nos próximos dias e sempre checar nos canais oficiais das lojas, caso encontre alguma promoção que gere dúvida sobre sua veracidade”.

Como prevenção, o dfndr lab recomenda a utilização de softwares de proteção online com mecanismos antiphishing, bem como manter o antivírus em dia e realizar varreduras periódicas no sistema. Ele também pede que o usuário sempre faça a checagem da veracidade dos links antes de inserir informações e evite acreditar em promoções “boas demais para serem verdade”, pois elas raramente o são.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.