Rapaz vende filha recém-nascida para comprar iPhone

Por Redação | 08 de Março de 2016 às 09h32

Todo ano é a mesma história: basta chegar um novo iPhone ao mercado para que algumas pessoas comecem a fazer loucuras para conseguir pôr as mãos no aparelho. No ano passado, alguém tentou vender literalmente o próprio rim e a gente achou que haviam chegado ao limite. No entanto, sempre há alguém capaz de ir mais longe e fazer algo que você sempre achou impossível. No caso, um homem tentou vender a própria filha para conseguir o smartphone.

Como não poderia deixar de ser, essa história digna de filme aconteceu na China, mais especificamente na cidade de Tong'na, na província de Fujian. Segundo o site The Epoch Times, o rapaz identificado apenas como A Duan, de 19 anos, vendeu sua filha recém-nascida para conseguir dinheiro para comprar o dispositivo da Apple e também uma motocicleta. O caso teria acontecido no ano passado e somente agora ganhou os noticiários.

De acordo com a página, a transação teve início a partir do serviço de bate-papo chinês QQ. O rapaz começou a procurar maneiras de vender a criança pelo site até que encontrou alguém disposto a comprá-la, mesmo sem o consentimento da mãe. O estranho comprador que surgiu no chat disse que a ideia era entregar o bebê para a sua irmã. Assim, eles negociaram e chegaram ao preço final de 23 mil yuan, o equivalente a US$ 3.500 — cerca de R$ 13,2 mil na cotação atual.

Após o ocorrido, a polícia chinesa conseguiu identificar a mãe e a prendeu. A jovem era menor de idade e confessou que ela mesma havia sido adotada e que muitas crianças eram vendidas em sua cidade natal porque as famílias não tinham condições de criá-las. Por conta dessa "familiaridade" com o comércio de crianças, ela disse não saber que a prática era ilegal.

Contudo, o discurso parece não ter comovido os policiais, que prenderam não apenas a garota como o próprio pai, que dificilmente vai usar seu iPhone e muito menos a motoca na prisão. Ainda assim, a Justiça local não aplicou a pena máxima à dupla por considerar que as condições nas quais eles viviam influenciou a terrível decisão. Desse modo, o rapaz vai cumprir três anos de cadeia enquanto a mulher foi dispensada da sentença de dois anos e meio, já que ela se dedica hoje a cuidar de seu irmão mais novo e dos pais, que sofrem de vários problemas de saúde.

Além disso, o próprio comprador se apresentou à polícia após descobrir que os pais haviam sido presos. Entretanto, como a Justiça decretou que o casal era incapaz de cuidar da menina, o homem continuou com o bebê.

Via: The Epoch Times, Phone Arena