O dia em que a internet se uniu para invocar um demônio

Por Redação | 25.05.2015 às 11:56

Foi-se o tempo em que a maior preocupação da internet com o sobrenatural era receber mais um e-mail da Samara, que teria 14 anos se ainda estivesse viva se não tivesse caído de bicicleta em um acidente trágico. Isso é coisa do passado e o pessoal agora decidiu ser um pouco mais radical, preferindo usar o Twitter e o Vine para invocar um demônio e falar com as forças do além.

A partir do chamado "Charlie, Charlie, Challenge", usuários usam as redes sociais para divulgar vídeos em que eles supostamente conversam com um espírito mexicano a partir de um pequeno jogo que lembra a velha brincadeira do copo que muita gente já fez durante a infância e adolescência. Com uma folha de papel com respostas de "Sim" e "Não" e dois lápis, eles invocam a entidade e começam a fazer várias perguntas sobre suas vidas.

Como toda lenda urbana, a brincadeira logo virou um fenômeno e se espalhou. É fácil encontrar perfis no Vine com a reação das pessoas ao verem os lápis se mexendo sozinho após chamarem as forças sobrenaturais e, na sua grande maioria, esses vídeos mostram um misto de surpresa, medo e descrença.

Por outro lado, a internet não seria a internet se isso logo não virasse piada. Por mais que ninguém tenha questionado por que diabos um espírito mexicano se chamaria Charlie, várias sátiras em relação ao desafio começaram a aparecer. Muita gente começou a satirizar a brincadeira perguntando com qual membro do One Direction ele iria se casar, quando o novo álbum de Justin Bieber vai ser lançado ou se o jogo The Last Guardian vai ser anunciado nesta E3 ou não.

Além disso, muita gente viu horrorizada o contato com o outro mundo ser banalizado pelas redes sociais. Assim como aquele seu primo medroso que surtava todas as vezes que você sugeria fazer a brincadeira do copo, vários usuários começaram a publicar enormes tratados no Facebook explicando os perigos do "Charlie, Charlie, Challenge". Como no jogo brasileiro, a tradição mexicana diz que não é apenas o espírito amigável que entra em contato com as pessoas, mas uma infinidade de outros demônios que podem fugir do controle e afetar sua vida de várias maneiras.

Enquanto ninguém provou que antigos espíritos do mal realmente andam se aproveitando das redes sociais para invadirem nosso mundo, o pessoal continua entulhando o pobre Charlie de perguntas. Mas a pergunta é: que Charlie é esse?

Via: Mirror Online, TechRadar