Fuinha interrompe funcionamento de acelerador de partículas do Cern

Por Redação | 29.04.2016 às 23:59

A tecnologia, apesar de todo o seu avanço, ainda não é capaz de lidar completamente com as manifestações da natureza. Nesta sexta-feira (29), o instrumento científico mais caro do mundo sofreu danos por causa de uma fuinha, que mordeu um cabo transformador de 66 mil volts e causou um curto-circuito.

O aparelho, conhecido como Grande Colisor de Hádrons (LHC), é um acelerador de partículas localizado em um túnel subterrâneo entre a França e a Suíça. Com 27 quilômetros de extensão, o equipamento serve para estudos em física de partículas.

Para ser construído, o LHC custou mais de 7,5 bilhões de dólares e levou 10 anos para ficar pronto. Sua função é colidir partículas no maior nível de energia possível, com o intuito de recriar as condições do ínicio do Universo com a explosão do Big Bang.

No momento do incidente, o aparelho estava em pleno funcionamento. A fuinha entrou nas instalações elétricas do LHC, e ao roer o cabo, recebeu uma descarga elétrica de mais de 66 mil volts. É claro que o animal morreu na mesma hora, e poucos restos do corpo foram encontrados.

De acordo com Arnaud Mersollier, porta-voz do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), o incidente não causou danos importantes no acelerador de partículas, mas a queda de energia foi tão severa que alguns dias serão necessários para que Grande Colisor de Hádrons volte a funcionar.

Fonte: Uol