Drones são usados para entregar armas, drogas e até pornografia nos presídios

Por Redação | 19.04.2017 às 11:59
photo_camera Divulgação

A popularidade dos drones não aumentou apenas entre as empresas e os usuários comuns, mas também nos presídios. Prova disso é que dezenas de penitenciárias nos Estados Unidos registraram um aumento significativo no número de vants (veículos aéreos não tripulados) voando sobre essas instalações.

De acordo com a Fox News, os guardas das áreas externas de cadeias em todo o território americano informaram que os drones são vistos principalmente próximos aos muros. Em quase todos os casos, os objetos carregam diversos tipos de drogas, como cigarro e maconha, armas, celulares e até material pornográfico que seriam entregues aos presos.

As autoridades também acreditam que, em vez de contrabando, alguns modelos de drones podem ter sido usados para sondar as defesas das prisões, sugerindo possíveis planos de fuga aos criminosos. Um incidente dessa categoria foi registrado num presídio de Michigan, onde os policiais encontraram um vant tão pequeno que mais parecia um brinquedo. O ocorrido também aconteceu em Oklahoma, Ohio, Carolina do Sul e Geórgia.

O aumento no número de relatos envolvendo drones voando perto das cadeias levou alguns funcionários desses Estados a pedir uma revisão das instalações nas penitenciárias, uma vez que não há nenhum protocolo a ser seguido quando vants são encontrados nas prisões. É possível que muitos drones tenham concluído suas entregas, pois não existe medidas eficazes contra esse novo crime.

Sabendo que os bandidos têm usado a tecnologia em benefício próprio, o Canadá já implementou algumas soluções na tentativa de conter esse fenômeno. Foram colocadas redes sobre as cercas e nos muros perimetrais para impedir que os drones cheguem nas mãos dos detidos. O Reino Unido, por sua vez, anunciou no início desta semana a formação de um esquadrão especializado em investigar o contrabando de drones por todo o país, para então repassar essas informações aos oficiais. Já a Irlanda tem feito um treinamento com os policiais que ficam nos presídios para aumentar a vigilância.

O Brasil também já registra casos de drones pegos sobrevoando os arredores das prisões. Em 2015, a polícia do Mato Grosso capturou um drone que seria utilizado por traficantes para entregar drogas na Cadeia Pública de Cáceres, a 220 km de Cuiabá. No ano passado, uma operação comandada pelo Ministério Público, em parceria com a Brigada Militar (BM) e a Polícia Civil, revelou que uma quadrilha usava um drone para entregar entorpecentes no Presídio Estadual de Santa Rosa, no Rio Grande do Sul.

Fonte: Fox News