Você conhece o homem mais odiado da internet?

Por Redação | 13.11.2012 às 16:48

Há um bom tempo Hunter Moore já mostrou que não usa a internet para fins produtivos nem para fazer coisas legais para si mesmo ou para as pessoas. Dono de uma mentalidade nada convencional e extremamente pervertida, Moore, 26 anos, não sente remorso. Ele nasceu para sacanear as pessoas e dormir tranquilo depois de um dia cheio de drogas, pornografia e distribuição de ódio. O caso de Moore saiu na revista Rolling Stone.

Hunter Moore

Para quem não conhece, ele é o fundador do portal IsAnyoneUp.com, cujo objetivo era causar o ódio e a discórdia entre ex-namorados e seus respectivos parentes e amigos. O site funcionava como um portal de vingança pornô, no qual namorados revoltados postavam fotos comprometedoras de suas ex. As fotos eram avaliadas por Moore, que verificava a idade das garotas e depois liberava o acesso às imagens online. E junto com elas, ele incluía o perfil completo da garota, só pelo prazer de destruir ainda mais a reputação da 'pobrezinha', que em poucos dias estaria indexada no Google para todo mundo ver, inclusive seus pais, avós e o chefe.

Depois de estragar a vida de várias pessoas, inclusive famosas, a BBC resolveu nomear Moore como "o homem mais odiado da internet". De tão odiado, nem no Facebook Moore pode entrar. Foi banido, e, na tentativa de usar a rede social com o perfil de seu gato de 27 Kg, foi banido pela segunda vez (Moore reagiu e exibiu uma foto do próprio pênis).

Daí em diante veio a cascata de frutos que ele precisava colher: o PayPal o bloqueou, os Anonymous tentaram invadir seu site, as pessoas o agrediam fisicamente e o ameaçavam constantemente de morte. Moore ficou com medo de morrer e partiu para uma vida pacata no campo, com sua avó.

Mas as coisas não terminaram por aí, muito menos terminaram bem. Depois que Moore apareceu no programa de Anderson Cooper, da CNN, para ser confrontado por duas garotas cujos seios apareceram no IsAnyoneUp.com, uma turma de elementos extremamente estranhos começou a persegui-lo, enviando conteúdo pesado para a equipe do site. Por pesado, entenda o que existe de mais sujo na internet, como fotos de pornografia infantil e animal. A história foi tomando proporções cada vez piores. Até o FBI já entrou em sua casa, apresentando um mandado para busca de evidências de invasão. Mas, nada 'grave' ocorreu.

O que importa é que Moore ficou famoso por sua infâmia. Por ter um comportamento tão delinquente e desdenhar tanto da dignidade e reputação das pessoas, ele começou a angariar uma legião de fãs estranhos, defensores da liberdade de expressão e com quase nada na cabeça.

No Twitter, a tietagem chegava a ser assustadora. Uma de suas fãs declarou, por um tuíte, que dormiria com ele mesmo se ele tivesse AIDS, só para dizer que pegou a doença de Moore. A vida transviada de Moore rendeu tantos comentários que ele conseguiu, não pelo melhor caminho, obviamente, uma fama e tanto no mundo da internet.

Moore decidiu fechar a empresa e vendeu o portal para o site antibullying Bullyville.com. Ele até tentou se reabilitar, ficando amigo dos oprimidos e tirando o corpo fora durante entrevistas, dizendo coisas como "não sei como você pode me acusar - foi você quem tirou a foto".

E assim, o homem mais odiado da internet segue seu caminho. Mas até quando? Será que uma pessoa tão estranha, perversa e provavelmente com uma mente doentia tem solução perante a sociedade real e virtual? Ou será que esse papo de índole não tem nada a ver?