Três roupas de mergulho das mais estranhas

Por André Fogaça | 22 de Março de 2012 às 18h00

As roupas de mergulho já foram a maior visão que se pode ter a respeito do homem do futuro, ou homem do espaço. Antigamente elas não eram feitas de material leve e que se moldava ao seu corpo. Eram verdadeiras armaduras pesadas e nada práticas para andar no mundo como conhecemos. Duvida? Olhe a lista abaixo e tire suas conclusões:

Chester E. Macduffe

Esta roupa, ou armadura, foi criada com base em uma liga de alumínio e pesava nada menos que 250 kg. Há cilindros nas juntas para permitir o movimento do mergulhador, só que apenas em uma direção. O maior problema das juntas é que entrava água por elas, mas que foi solucionado com uma bomba d'água interna, que funcionava com ar comprimido enviado diretamente da superfície. A profundidade máxima da roupa foi alcançada aos 65 metros, em 1915.

Roupas atmosféricas Neufeldt und Kuhnke

Esta dupla de roupas alemãs ficaram famosas durante a corrida do ouro e da prata de 1922, quando estavam aprisionadas no navio SS Egito. Uma segunda versão da roupa foi testada em 1924, mas o movimento dos membros sempre foi algo complicado e muito limitado. Outra versão foi utilizada durante a Segunda Guerra Mundial, com o nome de Panzertaucher (mergulhador blindado).

Karl Heinrich Klingert

Este nome complicado, também alemão, criou a primeira versão de roupa de movimento livre, em 1797. A roupa contava com o sistema de ar na superfície, bombeando a partir de um tanque de ar comprimido. A vantagem desta roupa é a liberdade de movimentos, mas a pressão da água era um problema.

E ai, ainda acha estranho ter a máscara na cara e o pé de pato?

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.