Para cumprir meta, Oi instala 9 orelhões em pleno matagal no RS

Por Redação | 29 de Outubro de 2012 às 12h35

A instalação de novos orelhões em locais afastados e desertos da cidade de Passa Sete, no Rio Grande do Sul, tem causado muita revolta entre os moradores. Um matagal e a entrada do cemitério foram alguns dos pontos escolhidos.

Ao todo, foram instalados 16 novos orelhões no município. Nove aparelhos foram colocados em um matagal longe do centro da cidade; três na porta do cemitério; outros três na frente de uma oficina mecânica e mais um na calçada da prefeitura local.

Para completar, dos nove telefones instalados no matagal, três não funcionam. O prefeito da cidade, Bertino Rech, informou ao jornal Zero Hora que o Executivo não foi acionado pela operadora para determinar os locais de instalação dos novos orelhões, deixando locais como escolas e postos de saúde sem os telefones públicos.

A instalação dos telefones cumpria determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), pois a cidade não possuía o número ideal de quatro aparelhos para cada mil habitantes. E os telefones foram instalados pela operadora Oi, a única que faz a cobertura da telefonia da cidade de cinco mil moradores.

Em nota oficial, a Oi afirmou que irá remanejar os orelhões e não informou quais foram os seus critérios para a escolha do local de instalação. A Anatel também afirmou que está acompanhando o caso de perto, já que Passa Sete é um dos 105 municípios gaúchos que a Oi deverá oferecer ligações efetuadas de telefones fixos para fixos de forma gratuita até o final deste ano, como um castigo por conta da precariedade do serviço de telefonia oferecida pela empresa. "Não tem que pagar, né? Se tivesse que pagar, eles colocavam pertinho, pois iriam ganhar dinheiro", reclamou uma moradora para a reportagem.

Orelhões Oi matagal

A Oi afirmou que irá "remanejar os orelhões o mais rápido possível"

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.