HP é processada em US$ 500 milhões por app que mede tamanho do pênis

Por Redação | 26 de Julho de 2014 às 15h34
Tudo sobre

HP

A famosa companhia norte-americana Hewlett-Packard pode ter que pagar US$ 500 milhões ao músico Chubby Checker se assim a justiça decidir. É que Checker, mais conhecido pelo hit The Twist da década de 1960, processou a companhia por usar seu nome indevidamente num app que, pasmem, mede o tamanho do pênis. Intitulado "The Chubby Checker", o app estava disponível na loja de aplicativos WebOS da HP até o ano passado, quando o cantor resolveu ir à justiça.

De acordo com o processo, a HP não só utilizou o nome de Checker, que é uma marca registrada, como também violou a Lei de Decência das Comunicações. Em um primeiro julgamento, a violação da lei acabou sendo descartada, mas o uso indevido da marca procedeu e será julgada em outubro.

Segundo o Hollywood Reporter, a gigante norte-americana disse que não tinha conhecimento da marca registrada Chubby Checker e que por isso a utilizou no app. Depois de receber algumas notificações dos advogados do cantor, no entanto, a empresa voltou atrás e acabou retirando o medidor peniano do ar. Para os advogados de Checker, a ação não foi suficiente, pois o cantor é "conhecido internacionalmente" e bastaria uma simples busca na Internet para comprovar que usar o nome causaria problemas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ernest Evans, mais conhecido por Chubby Checker, teve seu nome artístico utilizado indevidamente pela HP em um app que propunha medir o tamanho do pênis do usuário. Companhia pode ter que pagar US$ 500 milhões se não chegar a um acordo com o cantor

Ernest Evans, mais conhecido por Chubby Checker, teve seu nome artístico utilizado indevidamente pela HP em um app que propunha medir o tamanho do pênis do usuário. (Foto: Reprodução)

Além disso, os advogados dizem que associar o nome de Checker a um app desse tipo manchou sua imagem como artista. O polêmico app, inclusive, não chegou a alcançar o sucesso esperado pela HP e foi baixado menos de 100 vezes, rendendo pouco mais de US$ 30 à empresa.

Agora, graças ao seu descuido, a HP poderá ter que pagar meio bilhão de dólares ao cantor se não chegar a um acordo com ele. Nenhuma das partes comentou se estão trabalhando em algo nesse sentido, mas a HP já declarou publicamente que nunca mais utilizará o nome de Chubby Checker em quaisquer serviços, aplicativos ou algo tipo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.