Estudante norte-americana desafia microchip 'satânico' em tribunal

Por Redação | 04 de Dezembro de 2012 às 14h49

Uma escola no estado do Texas, Estados Unidos, decidiu colocar microchips nos cartões de identificação de seus alunos, permitindo assim que a administração do estabelecimento pudesse monitorar os passos dos adolescentes. Mas, o que parecia ser uma proposta simples acabou se tornando caso de justiça. As informações são da Fox News.

A estudante Andrea Hernández, 15 anos, e seus pais entraram com um processo judicial contra o uso do microchip alegando que o mecanismo feria seus preceitos cristãos e que seria uma "marca da própria besta". A escola concordou em remover o chip do cartão de Andrea, mas ainda exigiu que a aluna utilizasse o cartão de identificação.

Andrea Hernández processo chip

Estudante Andrea Hernández (Reprodução: Fox News)

Muitas pessoas concordam que o uso de chips de localização são uma forma de invadir a privacidade de seus usuários, mas alguns cristãos nos Estados Unidos acreditam que a tecnologia foi implantada pelo próprio "Coisa Ruim" pelo governo do país. No entanto, a escola afirma que a ideia de utilizar o chip não visa invadir a privacidade de ninguém e nem ferir a fé dos seus alunos, e que ela foi sugerida para saber se os alunos estão onde devem estar: na escola.

Além disso, as escolas no estado do Texas recebem verbas governamentais com base na frequência de seus alunos, ou seja, um aluno que falta muito à escola significa menos dinheiro no final do mês. A ação judicial foi encaminhada para uma corte federal e as partes deverão ser ouvidas ainda nesta semana.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.